Quando inflação é a bússola

analises

Quando inflação é a bússola

12 set 2022

DVinvestDVinvest
Começando mais uma semana, dessa vez uma segunda-feira de agenda esvaziada, mas que prepara investidores para uma semana que promete ser movimentada. Ao longo dos próximos cinco dias teremos divulgações de inflação em quase todo o mundo, com destaque para os dados dos EUA, e das economias europeias.No caminho para as decisões de juros pelos bancos centrais, os índices de preços devem ser um guia para as políticas monetárias a serem adotadas.abertura-do-mercado-12-de-setembro_its-money.png

Abertura do mercado no Brasil

No Brasil, a semana é menos movimentada já que na última sexta-feira o IBGE divulgou o índice de preços ao consumidor amplo, o IPCA.No mês agosto o indicador marcou nova deflação, com queda de 0,36% nos preços. Apesar de levemente acima do esperado, o índice reforçou as expectativas de encerramento do ciclo de alta de juros por aqui, o que acabou mantendo o juros futuros estáveis na sexta-feira.As perspectivas de encerramento das altas nos juros, são estímulos aos tomadores de risco que voltam a mobilizar recursos para a renda variável. Não à toa, o Ibovespa encerrou a sexta-feira com alta de 2,17%.Já na comparação com mercados exteriores, as perspectivas de maior aperto monetário têm enfraquecido o real frente as moedas americana e europeia. Por aqui, a semana começa com divulgação do Boletim Focus pelo Banco Central nessa manhã.Na terça a expectativa fica em torno dos dados de crescimento do setor de serviços em julho, com estimativa de aumento de 0,5% no mês.A quarta-feira deve mostrar informações sobre vendas no varejo, enquanto na quinta o Banco Central divulga o IBC-Br, uma prévia do PIB que deve trazer cor ao cenário da atividade econômica no país.E para encerrar a semana, na sexta, a IGP-10, índice de preços calculado pela FGV, deve mostrar nova medição deflacionária.

Curva DI

Na semana um pouco mais curta por conta do feriado de 7 de setembro os juros apresentaram queda nas partes intermediárias e longas e tiveram leve abertura na parte mais curta da curva.Nos mercados o clima era de ajustes  repercutindo a fala mais cautelosa do BC em relação ao aperto monetário, aumentando as apostas para um ajuste de 25 bps na próxima reunião.Os dados de IPCA para agosto divulgados no dia 09/09 marcaram -0,36% vs - 0,40% estimados, que apesar de ser próximo do esperado indicou que os núcleos voltaram a acelerar.Curva de juros um mês atrás (amarelo) uma semana atrás (branco) e no fechamento do dia 09/09. curva-de-juros-12-de-setembro_its-moneyNo tesouro direto os leilões de títulos apresentaram volumes menores do que  vinham apresentando, mas com as taxas ainda em queda.O Tesouro pré 2025 encerrou a semana pagando 11,69% vs 11,79% da semana anterior enquanto o vencimento de 2029 pagava 11,50% contra 11,80% uma semana atrás.A NTB-B com vencimento em 2026 fechou a semana pagando IPCA + 5,57%. O Tesouro IPCA 2035 e 45 pagavam IPCA + 5,73% com pouca diferença da semana anterior.

Abertura do mercado nos EUA

Nos EUA, começamos uma semana que promete ser movimentada. Ainda na expectativa das decisões sobre juros do Fed, os mercados aguardam dados de inflação divulgados essa semana, para monitorar o futuro dos juros norte-americanos.Atualmente as projeções indicam 90% de probabilidade de um terceiro aumento de 75 pontos base em 21 de setembro. As falas mais recentes de membros do Fed seguem reforçando essa perspectiva.Desde Jackson Hole, quando Jerome Powell indicou que um novo aumento de mesma magnitude era o caminho mais provável, um coro de dirigentes do banco central se juntou ao seu Presidente.No tesouro direto os leilões de títulos apresentaram volumes menores do que vinham apresentando, mas com as taxas ainda em queda.O Tesouro pré 2025 encerrou a semana pagando 11,69% vs 11,79% da semana anterior enquanto o vencimento de 2029 pagava 11,50% contra 11,80% uma semana atrás.A NTB-B com vencimento em 2026 fechou a semana pagando IPCA + 5,57%. O Tesouro IPCA 2035 e 45 pagavam IPCA + 5,73% com pouca diferença da semana anterior.Nos EUA, começamos uma semana que promete ser movimentada. Ainda na expectativa das decisões sobre juros do Fed, os mercados aguardam dados de inflação divulgados essa semana, para monitorar o futuro dos juros norte-americanos.Atualmente as projeções indicam 90% de probabilidade de um terceiro aumento de 75 pontos-base em 21 de setembro. As falas mais recentes de membros do Fed seguem reforçando essa perspectiva.Desde Jackson Hole, quando Jerome Powell indicou que um novo aumento de mesma magnitude era o caminho mais provável, um coro de dirigentes do banco central se juntou ao seu Presidente.

Mercado Interno

Na última semana o Ibovespa completou as negociações no positivo, com alta de 1,30%, puxado, principalmente, pelo forte movimento de alta de sexta-feira.Ainda no compasso de espera por novas decisões sobre juros pelo Banco Central, investidores se mostram mais propensos ao risco com perspectivas de melhora no cenário econômico, e divulgações de indicadores que reforçam o cenário mais estável.Por aqui, o mercado de ações segue sendo uma boa oportunidade de exposição ao risco. E para hoje, a interrupção das negociações na China, em feriado do Festival da Lua pode tirar liquidez dos mercados, com destaque para commodities, o que pode afetar nossa bolsa.

Análise técnica Ibovespa

analise-tecnica-ibovespa-12-de-setembro_its-moneyO IBOV, analisando o gráfico semanal, vem passando nas últimas 4 semanas por um período de correção após um longo movimento de alta. A mínima deste movimento de correção representou uma queda de -5,38% até o momento.Isso é interessante do ponto de vista de que o índice não está fazendo uma correção forte, ou seja, apresentando uma queda acentuada. Portanto, a expectativa de que a tendência de alta continue após essa correção é maior.Sendo interessante um olhar para operações na ponta compradora, na superação dos 112.670 pontos. Vale salientar que a perda dos 108.200 pontos seria o primeiro sinal negativo para o índice.

Mercado Externo

Nos EUA, o S&P 500 encerrou a semana com forte alta de 3,65%, em um movimento de recuperação depois de três semanas consecutivas no negativo.Por lá, investidores avaliam que o cenário de um terceiro aumento de 75 pontos base já está precifica, e que o pior momento de inflação já está no passado, o que começa a abrir oportunidades.A inflação ao consumidor divulgada amanhã, caso confirme as projeções deflacionárias, deve fortalecer esse cenário e estimular ativos de risco.

Análise técnica S&P 500

analise-tecnica-S&P-500-12-de-setembro_its-money.pngO S&P500, analisando o gráfico semanal, apresentou uma alta de 3,65% na última semana superando os 4.060 pontos. Isso pode ser o primeiro sinal positivo para a correção mais acentuada que mostrou.Essa correção gerou uma queda acumulada de -10,46%, e tomando como premissa as retrações de Fibonacci, teria parado no último nível (3.900 pontos).Isso aumenta a expectativa de que o índice busque patamares mais acima. No curto prazo (gráfico diário) o S&P500 mostrou o primeiro sinal positivo ao buscar fechar acima dos 4.050 pontos.Entretanto para anular a tendência de baixa que se encontra no curto prazo, é necessário buscar a região dos 4.200 pontos.

Commodities

O minério de ferro encerrou as negociações nessa madrugada em queda no mercado de Singapura. Em Dalian, na China, não houve negociações e decorrência do feriado do Festival da Lua. A paralização no gigante asiático tira liquidez dos mercados de commodities e afeta o desempenho do dia.A expectativa é que os mercados voltem a se comportar normalmente a partir de terça-feira. O cenário para o minério indica leve recuperação nos próximos meses com indicações de retomada da atividade de construção civil na China.O petróleo opera em alta nessa manhã de segunda-feira. O cenário para a commodity segue travado entre pressões de oferta, adicionadas pela Opep+ recentemente, e pelo conflito no leste europeu que se estende desde fevereiro.Na ponta da demanda, o cenário é de temor de desaceleração com sinalizações de enfraquecimento da demanda chinesa, com novos lockdowns no país asiático, além dos riscos de recessão que criam risco de degradação da demanda.

Análise técnica petróleo

analise-tecnica-petroleo-12-de-setembro_its-money.pngO petróleo, analisando o gráfico semanal, segue dentro de uma tendência de baixa no médio prazo. Porém, a região onde o preço se encontra graficamente é uma região mais “travada” (por estar entre as médias), e isso tende a gerar um movimento mais lateral, como apresentado.O preço chegou a perder um nível importante dos USD 91,00/barril nos últimos dias, e agora voltou nesse patamar. Isto é, caso o ativo busque os USD 96,55/barril seria o primeiro sinal positivo, de possível reversão para uma tendência de alta.Enquanto a perda dos USD 86,81/barril aumentaria a expectativa do petróleo buscar níveis mais abaixo, como os USD 85,00/barril.

Analistas responsáveis

Dalton Vieira – Analista CNPI-T

  • + 15 anos de experiência no mercado financeiro;
  • Analista de valores mobiliários (CNPI-TEM 910);
  • Credenciado pela Apimec desde 2010;Desenvolvedor do método DV de investimentos.

Henrique Tavares – Analista CNPI

  • Analista CNPI (CNPI EM-3176);
  • Credenciado pela Apimec;
  • Formado em Engenharia;
  • Aeronáutica pela Universidade Federal Uberlândia (UFU).

Disclaimer

De acordo com a Resolução CVM nº 20, de 25 de fevereiro de 2021, Art. 21º, declaro que as análises realizadas neste relatório refletem única e exclusivamente a opinião dos autores, e foram elaboradas de forma independente e autônoma.De acordo com o art. 21 da ICVM 598/18, caso o Analista esteja em situação que possa afetar a imparcialidade do relatório ou que configure ou possa configurar conflito de interesse, este fato deverá estar explicitado no campo “Conflitos de Interesse” deste relatório.As informações, estimativas e projeções contidas neste relatório referem-se à data de publicação e estão sujeitas a mudanças, não implicando necessariamente na obrigação de qualquer comunicação no sentido de atualização ou revisão com respeito a tal alteração.As plataformas usadas para realização deste relatório são Bloomberg e Profit (Nelogica), além de portais de notícias nacionais e internacionais devidamente identificados quando utilizados. 
DVinvest

DVinvest

A DVinvest é a casa de análise fundada pelo renomado analista Dalton Vieira, que possui em sua equipe profissionais altamente especializados em análise fundamentalista e técnica de ações.

Saber mais

Gostou do conteúdo?

Queremos sempre melhorar a experiência a sua experiência. Se puder, dê uma forcinha para o time de redação e conte o que você achou da edição de hoje.

O que achou deste conteúdo?

  • Ruim
  • Ótimo
As melhores análises do mercado

Receba em primeira mão as melhores análises do mercado financeiro diretamente em sua caixa de entrada. Nossa newsletter oferece insights exclusivos, tendências e perspectivas sobre o mercado.

Deixe-me ler primeiro uma amostra