Economia

Brasil registra queda na geração de empregos em abril, mostra Caged

Brasil registra queda na geração de empregos em abril, mostra Caged
  • Publicado em 31 de maio de 2023

O Brasil registrou queda na geração de empregos em abril. Dados do Cadastro-Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho e Emprego (Novo Caged), divulgados nesta quarta-feira (31) mostram o país gerou 180.005 postos de trabalho com carteira assinada. Ou seja, abaixo dos 192.915 de março e dos 205.499 do mês de abril de 2022.

Segundo o Caged, o saldo de abril deste ano é resultado de 1.865.279 admissões e 1.685.274 desligamentos. Por outro lado, houve saldo positivo de emprego em 23 das 27 unidades da federação e nos cinco grandes grupos de atividade econômica.

Com isso, o estoque recuperado de empregos formais alcançou a maior valor da série histórica, com 43.150.134 postos de trabalho.

Queda na geração de empregos

Como resultado, no acumulado do ano, o saldo foi de 705.709 postos de trabalho, sendo positivo em 24 das 27 Unidades da Federação e 4 dos 5 grandes grupamentos econômicos.

Por outro lado, na comparação com o mês e março, houve uma queda na geração de empregos. Foram 192.915 empregos formais no mês, ou seja, 7,8% a menos.

Já na comparação com o mesmo mês e 2022, a queda foi ainda mais acentuada, de 12,5%.

Setores em crescimento

No mês de abril, porém, o salário médio de admissão sobe. Os novos contratados receberam, em média R$ 2.015,58, R$ 44,47 a mais do que a média de março, um aumento de 2,3%

Já o maior crescimento do emprego formal ocorreu no setor de Serviços, que teve um saldo de 103.894 postos formais de trabalho, com destaque para o setor da Administração Pública, Defesa e Seguridade Social, Educação, Saúde Humana e Serviços Sociais, que apresentou o maior saldo (+38.138).

Em seguida, veio o Comércio, com saldo positivo de 27.559 formais de trabalho e a Construção Civil, que teve saldo positivo de 26.937 postos no mês, com destaque para os setores de Construção de Edifícios, com saldo de 10.478 e o de Obras de Infraestrutura, com saldo de 9.785.

Por fim, a Indústria gerou saldo positivo de 18.713 postos formais de trabalho e a Agropecuária 2.902 postos de trabalho no mês.

Estados

Segundo os dados do Novo Caged, o emprego ficou positivo em 23 dos 27 estados brasileiros. Assim, destaque para São Paulo, que gerou 54.910 postos (+0,42%), principalmente no setor de serviços (+27.744). Já Minas Gerais gerou 27.438 postos (+0,60%) e Rio de Janeiro, teve geração de 18.114 postos (+0,53%).

Em relação a gênero, o saldo foi positivo tanto para mulheres (+72.873) quanto para homens (+107.132) e à População com Deficiência, identificou-se um saldo positivo de 1.118 postos de trabalho.

 

Written By
Raissa Scheffer

Raissa Scheffer (MTB: 0051926/SP) é jornalista com 16 anos de experiência em economia. Foi repórter e editora na Gazeta de Ribeirão e Jornal ACidade. Com passagens pela EPTV Ribeirão, Portal Terra, TV Record e Portal Revide.