Análises Morning Call

Dezembro atípico

Dezembro atípico
  • Publicado em 21 de dezembro de 2022

Its_Money_Morning_Call

Macro

Investidores seguem nessa quarta-feira acompanhando os desdobramentos da postura adotada pelo Banco do Japão (BoJ) que, segundo muitos especialistas, é um indicativo forte de que a autoridade monetária por lá deve subir os juros em confluência com o restante do mundo.

O Iene saltou ontem para sua maior alta para um dia desde o final dos anos 90.

Alguns economistas esperam também que o BoJ eleve o limite superior dos yields do Japão ainda para algo próximo de 1% antes de propriamente subir os juros.

Investidores japoneses detém mais de USD 3 trilhões em dívidas e ações estrangeiras no mundo, sendo metade nos EUA.

Ao que tudo indica, teremos um dezembro atípico para o principal índice acionário dos EUA, o S&P 500, que costuma subir no último mês do ano.

Nos últimos 50 anos tivemos apenas 14 vezes em que o índice fechou no negativo, dessa vez um ambiente macroeconômico com bancos centrais altistas e risco de recessão global se avizinhando dá o tom pessimista para o índice, que cai mais de 6% até então.

Aqui no Brasil, a bolsa tem se descolado em algumas sessões pontuais de todo esse pessimismo global, pelo conturbado cenário político, onde qualquer leve melhora já traz algum alívio para o mercado.

A Câmara aprovou ontem a noite, em primeiro turno, a chamada PEC de Transição que deixou de fora do teto BRL 145 bi de reais.

Foram 331 votos favoráveis com 168 contra.

A previsão é de que no dia de hoje ocorra as votações para os destaques e o segundo turno.

As notícias foram bem recebidas pelo mercado que subiu bem na sessão de ontem, com o dólar caindo para acompanhar.

O prazo menor e PEC desidratada contribuíram fortemente para isso.

O traquejo político entre o PT e o Centrão vem sendo testado nesses últimos dias.

Fugindo um pouco da praxe, o presidente da Câmara, Arthur Lira, votou favoravelmente a PEC, quando normalmente costuma se abster.

Mercado Interno

Its_Money_mercado interno

Análise Técnica

O Ibovespa nesta terça-feira finalizou o pregão com uma alta de 2,03% aos 106.864 pontos, terminando no positivo pelo segundo dia consecutivo.

Apesar da alta o índice não superou nenhum nível importante, e segue em tendência de baixa.

Entretanto, caso o Ibovespa continue em alta nos próximos dias, aumenta o viés mais positivo.

Voltando a ser negociado acima dos 108.785 pontos (um nível importante) há probabilidade de o ativo retomar uma tendência de alta.

Mercado Externo

Its_Money_mercado externo

Análise Técnica

O S&P500 fechou essa terça-feira com uma leve alta de 0,32% aos 3.828 pontos.

Após quatro dias consecutivos de baixa, esse é o primeiro fechando no campo positivo.

Apesar da alta, o índice não superou níveis importantes e segue com um viés mais negativo.

Porém, após esse forte movimento de baixa iniciado na semana passada, aumenta-se a probabilidade de o ativo passar por uma correção no curto prazo.

Essa correção pode ser em forma de um movimento mais lateral, ou um repique de alta até a média, por exemplo.

A perda dos 3.778 pontos indica que o S&P pode dar continuidade a esse movimento de baixa.

Para a retomada de uma expectativa mais positiva, o índice primeiramente deveria voltar a ser negociado acima dos 3.919 pontos.

Commodities

Its_Money_commodities

Estendendo os ganhos pelo terceiro dia consecutivo, o petróleo segue reagindo a um noticiário mais forte, com relatórios indicando a queda nos estoques da commodity nos EUA, além de um clima menos favorável que ameaça o fornecimento.

Pesam mais esses fatores do que os receios de uma desaceleração que vinham ditando a tônica do petróleo.

Minério de ferro também em alta, com notícias vindas da China de mais cautela em sua reabertura, que vinha sendo caótica.

Novas políticas de estímulo ao setor imobiliário vêm sendo aventada, contribuindo para uma alta também.

Análise Técnica

O petróleo nessa terça-feira fechou no campo negativo com uma queda de 0,30% aos USD 80,15/barril, apresentando um movimento mais lateral nos últimos três dias.

O fato de o petróleo não ter perdido os USD 78,54/barril pode ser considerado algo positivo.

Entretanto, vale salientar que o ativo ainda se encontra em uma tendência de baixa, e a perda desse nível retomaria um viés mais negativo.

Já a superação dos USD 81,80/barril, se mantendo acima da média móvel de curto período, aumenta a expectativa de alta.

E, para anular completamente essa tendência de baixa, o ativo deve superar primeiramente os USD 83,14/barril, retomando um viés mais positivo.

Análise Técnica

O petróleo nessa segunda-feira fechou no campo positivo com uma alta de 1,29% aos USD 80,39/barril, após dois dias consecutivos em baixa.

A perda dos USD 79,37/barril aumenta a probabilidade de o ativo retomar a tendência de baixa nos próximos dias, voltando a ser negociado nos USD 76,60/barril.

Para anular essa tendência de baixa, o ativo deve superar primeiramente os USD 83,14/barril, retomando um viés mais positivo.

Análise Técnica  

O petróleo nessa sexta-feira fechou no campo negativo com uma queda de 2,65% aos USD 79,37/barril, sendo o segundo dia consecutivo terminando em baixa. 

A perda dos USD 79,37/barril aumenta a probabilidade de o ativo retomar a tendência de baixa nos próximos dias, voltando a ser negociado nos USD 76,60/barril.  

Para anular essa tendência de baixa, o ativo deve superar primeiramente os USD 83,14/barril, retomando um viés mais positivo. 

Analistas responsáveis

Dalton Vieira – Analista CNPI-T

  • + 15 anos de experiência no mercado financeiro;
  • Analista de valores mobiliários (CNPI-TEM 910);
  • Credenciado pela Apimec desde 2010;
    Desenvolvedor do método DV de investimentos.

Leonardo Gibelli – Analista CNPI-T

  • Analista CNPI-T;
  • Analista CNPI-T EM-3376 credenciado pela Apimec;
  • Formado em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Erik Sala – Especialista Em FIIs E Renda Fixa

Graduando em Economia pela UFG e especialista em Fundos Imobiliários. Assistente de análise responsável pela carteira DV Renda Imobiliária.

Disclaimer

De acordo com a Resolução CVM nº 20, de 25 de fevereiro de 2021, Art. 21º, declaro que as análises realizadas neste relatório refletem única e exclusivamente a opinião dos autores, e foram elaboradas de forma independente e autônoma.

De acordo com o art. 21 da ICVM 598/18, caso o Analista esteja em situação que possa afetar a imparcialidade do relatório ou que configure ou possa configurar conflito de interesse, este fato deverá estar explicitado no campo “Conflitos de Interesse” deste relatório.

As informações, estimativas e projeções contidas neste relatório referem-se à data de publicação e estão sujeitas a mudanças, não implicando necessariamente na obrigação de qualquer comunicação no sentido de atualização ou revisão com respeito a tal alteração.

Written By
DVinvest

A DVinvest é a casa de análise fundada pelo renomado analista Dalton Vieira, que possui em sua equipe profissionais altamente especializados em análise fundamentalista e técnica de ações.