Análises Morning Call Notícias

Dia de expectativa versus realidade: CPI nos EUA

Dia de expectativa versus realidade: CPI nos EUA
  • Publicado em 13 de outubro de 2022

Quinta-feira pós feriado no Brasil, o clima amanheceu em tom de espera pelos dados do CPI nos EUA que mostraram uma inflação ainda persistente.

Esse dado mais negativo deve puxar uma onda de aversão ao risco nos mercados, à medida que os agentes do mercado calibram as apostas da condução do FED, que possivelmente seguirá com ritmo forte de aperto monetário.

Abertura do mercado no Brasil

abertura-do-mercado-13-de-outubro_its-money.png.jpg

No Brasil, o compasso hoje deve ser de espera para os dados de inflação nos EUA que é a grande agenda do dia. As expectativas melhores por lá já impulsiona o DI e o dólar para baixo.

As 14:00 horas deverão ser divulgadas as pesquisas da Atlas e Quaest faltando 17 dias para as eleições. Ambos os candidatos cumprem agenda no Nordeste. A pesquisa mais recente, divulgada pelo Poder360 mostra Lula na frente com 52% dos votos válidos contra 48% de Bolsonaro.

Paulo Guedes e Roberto Campos participam de eventos em Washington, EUA.

O Tesouro oferta LTN 2023, 2024 e 2026 e NTN-F 2029 e 2033.

Abertura do mercado nos EUA

Nos EUA, o CPI veio mais forte do que o esperado acelerando a 0,4% (MoM) enquanto a previsão era de 0,2%. Com isso, a inflação americana chega a 8,2% ano contra ano.

Ontem a ata do FED chegou sugerir um ritmo de aperto monetário mais brando, fato que chegou a gerar pequeno otimismo no mercado, mas após dados mais amargos do CPI de hoje é o pessimismo que deve prevalecer. Para a próxima reunião do FED em 2 de novembro, o mercado precifica com 97,8% de chance um aperto de 75 bps.

Mercado Interno

Na terça após repercussão da fala de dirigentes do BoE (Bank of England) a bolsa fechou em queda com os juros subindo mais forte, seguindo a onda de pessimismo que contaminou outras bolsas no mundo.

O destaque positivo foi para a Braskem que mostrou evolução no seu processo de venda e chegou a subir 20%. Ainda no noticiário corporativo a Camil vai divulgar seu balanço referente ao 3T22 no fechamento do mercado.

Análise Técnica Ibovespa

analise-tecnica-ibovespa-13-de-outubro_its-money.png.jpg

O Ibovespa, analisando o gráfico diário, fechou o último pregão em baixa de -0,96% nos 114.825 pontos. Na mínima do dia chegou a testar a região dos 114.300 pontos.

O índice vem apresentando uma correção, repique de baixa, no curto prazo. Onde ainda pode buscar os 114.070 pontos, zona importante de negociação e também, região de média móvel.

Dessa forma, a perda dos 114.300 pontos aumenta-se a expectativa de se ter algo mais para baixo. Vale salientar que nos últimos três dias, o índice chegou a apresentar uma queda acumulada de -3,11%.

Por outro lado, a superação dos 115.925 pontos seria o primeiro sinal positivo para a retomada de tendência de alta que se encontra no curto prazo. Ponto onde a relação Risco x Retorno fica favorável para operações na ponta compradora.

Mercado Externo

Nos EUA, a reversão de expectativas deve ser o grande tema do mercado.

Ontem a ata divulgada pelo Fomc mostrou que alguns dirigentes consideram reduzir o ritmo de aperto monetário, porém depois de dados ainda persistentes da inflação por lá o mercado já considera com mais de 90% de chances um aperto ainda de 75 bps, ou seja, acelerado por lá e como sabemos, essa reversão de expectativas deve levar o mercado ficar mais averso ao risco, derrubando as bolsas no dia de hoje.

Análise técnica S&P500

analise-tecnica-S&P-500-13-de-outubro_its-money.png.jpg

O S&P500 terminou o último pregão com uma leve baixa de -0,41% nos 3.582 pontos. Sendo o sexto dia consecutivo fechando no negativo, onde essa queda acumulada foi de -6,27% (de sua máxima até mínima).

O índice está em uma região importante de negociação nos 3.590 pontos. Isso indica que a perda dela aumentaria a expectativa de continuar a tendência de baixa no curto prazo.

Porém, a superação dos 3.625 pontos demonstra uma possibilidade de correção no curto prazo. Ou seja, um repique de alta como correção no preço, ou um movimento mais lateral nos próximos dias como correção no tempo.

Commodities

O minério de ferro segue caindo pelo terceiro dia consecutivo com maiores temores de uma desaceleração na atividade econômica.

O congresso do Partido Comunista da China é bastante aguardado pelos mercados pois deve sinalizar melhor a atividade de setores chaves, como o imobiliário, para o minério.

O petróleo opera em queda nessa manhã de quinta-feira. O mercado segue avaliando os cortes na produção pela OPEP+ e confrontando os dados de uma desaceleração econômica global que deve esfriar um pouco mais a demanda pela commodity.

Análise técnica petróleo

analise-tecnica-petroleo-13-de-outubro_its-money.png.jpg

O petróleo fechou ontem com baixa de -1,38% nos USD 91,64/barril. Em que a queda acumulada nos últimos três pregões foi de -7,24%. Ou seja, no curto prazo o ativo está passando por um movimento de correção no preço, um repique de baixa.

O petróleo está em uma zona importante de preço nos USD 91,00/barril. Isto é, a perda desse nível implica em um aumento de expectativa mais negativa para o ativo.

Já a superação dos USD 94,31/barril indica o possível fim dessa correção no curto prazo e retomada da tendência de alta.

Analistas responsáveis

Dalton Vieira – Analista CNPI-T

  • + 15 anos de experiência no mercado financeiro;
  • Analista de valores mobiliários (CNPI-TEM 910);
  • Credenciado pela Apimec desde 2010;
    Desenvolvedor do método DV de investimentos.

Henrique Tavares – Analista CNPI

  • Analista CNPI (CNPI EM-3176);
  • Credenciado pela Apimec;
  • Formado em Engenharia Aeronáutica pela Universidade Federal Uberlândia (UFU).

Leonardo Gibelli

  • Analista CNPI-T;
  • Analista CNPI-T EM-3376 credenciado pela Apimec;
  • Formado em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Disclaimer

De acordo com a Resolução CVM nº 20, de 25 de fevereiro de 2021, Art. 21º, declaro que as análises realizadas neste relatório refletem única e exclusivamente a opinião dos autores, e foram elaboradas de forma independente e autônoma.

De acordo com o art. 21 da ICVM 598/18, caso o Analista esteja em situação que possa afetar a imparcialidade do relatório ou que configure ou possa configurar conflito de interesse, este fato deverá estar explicitado no campo “Conflitos de Interesse” deste relatório.

As informações, estimativas e projeções contidas neste relatório referem-se à data de publicação e estão sujeitas a mudanças, não implicando necessariamente na obrigação de qualquer comunicação no sentido de atualização ou revisão com respeito a tal alteração.

As plataformas usadas para realização deste relatório são Bloomberg e Profit (Nelogica), além de portais de notícias nacionais e internacionais devidamente identificados quando utilizados.

Written By
DVinvest

A DVinvest é a casa de análise fundada pelo renomado analista Dalton Vieira, que possui em sua equipe profissionais altamente especializados em análise fundamentalista e técnica de ações.