Análises Morning Call

Entre o otimismo e o pessimismo

Entre o otimismo e o pessimismo
  • Publicado em 20 de outubro de 2022

Dia de noticiário macro mais movimentado nesta quinta-feira com os mercados de olho nos balanços divulgados, principalmente nos EUA, e dados econômicos que vem sendo termômetro da economia.

Às 09:30h foram divulgados os dados de novos pedidos de seguro-desemprego nos EUA, com queda de 12 mil na semana encerrada em 15 de outubro, para 214 mil.

Hoje também sai venda de imóveis residenciais também nos EUA, o mercado imobiliário americano vem levantando muitas preocupações em ambiente de juros mais elevados e fraco desempenho de vendas.

Os juros para hipotecas de 30 anos já estão no patamar de 2008, que obviamente assusta os investidores que em meio à onda de pessimismo com a economia global procuram entender qual pode ser o setor que poderá ser a marca de uma crise. No jargão do mercado “qual baleia vai boiar”.

Problemas causados pelo ambiente de inflação global e recessões se avizinhando pelo mundo tem levado a um movimento forte nos títulos públicos de diversos países, muitos contaminados pela alta observada nas treasuries americanas.

O Banco do Japão (BoJ) anunciou compras não programadas de títulos pela primeira vez neste mês após o rendimento dos títulos de 10 anos exceder a meta estipulada.

Em tempo, os investidores observam todo o debacle no governo britânico encabeçado por Liz Truss, que anunciou sua renúncia nesta manhã após 45 dias de governo.

Ela vinha sofrendo baixas entre sua composição ministerial na esteira de uma crise que ameaçava sua continuidade à frente do governo, revezes na execução de um plano econômico factível elevou muito a pressão interna do partido.

Mercado Interno

abertura-do-mercado-20-de-outubro_its-money.png.jpg

No Brasil, teremos um apertado e imprevisível segundo turno ocorrendo em paralelo a divulgação de balanços do 3T22, algumas prévias divulgadas por empresas do setor imobiliário já tem chamado atenção de investidores para surpresas negativas.

Teremos a fotografia da economia brasileira sob o efeito de juros mais altos que tende a afetar as companhias tanto na performance das atividades quanto no resultado financeiro que deverá ser o foco dos analistas.

Assaí divulga o balaço hoje após o fechamento do mercado, Vale deve reportar seus números ainda na próxima semana no dia 27/10 e bancos e Petrobrás devem divulgar seus dados apenas em novembro após o pleito presidencial, vai ser interessante de acompanhar.

O Tesouro Nacional oferta LTNs e NTN-F em meio a pressões na curva de juros e o mercado tem colocado esses leilões no radar.

O destaque positivo por aqui vem sendo a Petrobrás que segue em alta acompanhando a valorização do petróleo.

Análise técnica Ibovespa

analise-tecnica-ibovespa-20-de-outubro_its-money

O Ibovespa fechou ontem no campo positivo com 0,46% de alta aos 116.270 pontos, sendo o terceiro dia consecutivo de subida.

Isto é, na semana já acumula uma alta de 3,75%, aumentando a expectativa positiva para o índice no curto prazo, podendo buscar a região dos 117.560 pontos.

Enquanto o Ibov estiver acima dos 114.000 pontos, zona de preço importante, o cenário ainda é mais positivo. Já a perda dos 113.620 pontos traz um viés mais negativo para o índice, onde poderia apresentar um movimento mais lateral ou mesmo um repique de baixa.

Mercado Externo

No exterior o mercado vai digerindo a temporada de balanços dos EUA, das empresas que divulgaram balanços até o momento, um pouco menos da metade, 48% para ser exato, superaram as estimativas de lucro por ação segundo levantamento do Bank of America.

As expectativas dos analistas já vêm reduzindo em meio a preocupações com inflação e economia. Entretanto,
ainda é relativamente cedo para tirar maiores conclusões, tendo em vista que pouco mais de 10% das empresas presentes no S&P500 divulgaram seus resultados até o momento.

Nos EUA tem pesado também a fala de dirigentes do FED que apontam para juros ainda mais elevados à frente caso a inflação continue mostrando sinais de persistência.

Alguns membros do FED vêm comentando sobre a dificuldade de se fazer ajustes monetários sem causar uma recessão na economia.

Análise técnica S&P500

analise-tecnica-ibovespa-S&P-500-20-de-outubro_its-money

O S&P500 terminou ontem com uma queda de 1,28% aos 3.699 pontos, sendo o primeiro dia fechando no campo negativo nessa semana.

Apesar disso, o índice não perdeu níveis importantes. Conseguiu se manter acima da média móvel e dos 3.582 pontos (nível importante de preço).

Dessa forma, a expectativa no curto prazo é mais positiva. Ou seja, há maior probabilidade de o índice buscar a região dos 3.790 pontos. Porém, a perda dos 3.666 pontos gera um cenário mais negativo. Em que este pode voltar a ser negociado nos 3.560 pontos.

Vale salientar que o S&P não conseguiu anular a tendência de baixa que se encontra no curto prazo. Para isso, é necessário que o ativo volte a ser negociado acima dos 3.790 pontos.

Commodities

O minério de ferro já recua para um dos menores níveis em quase um ano com pouca pressão no lado da demanda e perspectivas não muito boas para o mercado imobiliário chinês, tradicionalmente um grande demandante do minério de ferro.

O petróleo, por outro lado, segue em alta com melhores perspectivas na demanda, alimentado por algumas flexibilizações que podem ocorrer no China em relação ao Covid.

Análise técnica petróleo

analise-tecnica-petroleo-20-de-outubro_its-money

O petróleo, analisando o gráfico diário, terminou ontem com alta de 1,46% aos USD 91,04/barril, sendo o primeiro fechamento positivo na semana. Apesar da alta, o ativo não chegou a superar nenhum nível de preço importante no curto prazo.

Dessa forma, a superação dos USD 91,52/barril pode indicar o início de um movimento de alta para os próximos dias. Visto que o movimento de queda do petróleo começou dia 10 de outubro, porém não vem apresentando muita força. Isso é um bom indicador para o aumento de expectativa positiva.

Caso o ativo venha a perder os USD 87,94/barril, indica que ele pode continuar esse movimento de baixa.

Analistas responsáveis

Dalton Vieira – Analista CNPI-T

  • + 15 anos de experiência no mercado financeiro;
  • Analista de valores mobiliários (CNPI-TEM 910);
  • Credenciado pela Apimec desde 2010;
    Desenvolvedor do método DV de investimentos.

Henrique Tavares – Analista CNPI

  • Analista CNPI (CNPI EM-3176);
  • Credenciado pela Apimec;
  • Formado em Engenharia Aeronáutica pela Universidade Federal Uberlândia (UFU).

Leonardo Gibelli

  • Analista CNPI-T;
  • Analista CNPI-T EM-3376 credenciado pela Apimec;
  • Formado em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Disclaimer

De acordo com a Resolução CVM nº 20, de 25 de fevereiro de 2021, Art. 21º, declaro que as análises realizadas neste relatório refletem única e exclusivamente a opinião dos autores, e foram elaboradas de forma independente e autônoma.

De acordo com o art. 21 da ICVM 598/18, caso o Analista esteja em situação que possa afetar a imparcialidade do relatório ou que configure ou possa configurar conflito de interesse, este fato deverá estar explicitado no campo “Conflitos de Interesse” deste relatório.

As informações, estimativas e projeções contidas neste relatório referem-se à data de publicação e estão sujeitas a mudanças, não implicando necessariamente na obrigação de qualquer comunicação no sentido de atualização ou revisão com respeito a tal alteração.

As plataformas usadas para realização deste relatório são Bloomberg e Profit (Nelogica), além de portais de notícias nacionais e internacionais devidamente identificados quando utilizados.

Written By
DVinvest

A DVinvest é a casa de análise fundada pelo renomado analista Dalton Vieira, que possui em sua equipe profissionais altamente especializados em análise fundamentalista e técnica de ações.