Economia Notícias

FGV IBRE: Confiança do consumidor cai 1,3 ponto em fevereiro

FGV IBRE: Confiança do consumidor cai 1,3 ponto em fevereiro
  • Publicado em 24 de fevereiro de 2023

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) do FGV IBRE caiu 1,3 ponto em fevereiro, para 84,5 pontos, menor nível desde agosto de 2022 (83,6 pontos).

Em médias móveis trimestrais, o índice cai pelo terceiro mês consecutivo ao recuar 0,3 ponto, para 86,1 pontos.

Segundo Viviane Seda Bittencourt, Coordenadora das Sondagens, a confiança dos consumidores cai pelo segundo mês consecutivo.

“No geral há uma percepção de piora da situação atual, que é mais percebida pelas famílias de menor poder aquisitivo. As perspectivas ainda são cautelosas, apesar dos consumidores ainda serem otimistas em relação ao mercado de trabalho, o que parece ter sustentado as perspectivas sobre economia e emprego com indicadores acima dos 100 pontos”, explica.

Ainda de acordo com Viviane, o contexto econômico das famílias se altera pouco: “maior endividamento, taxas de juros elevadas, desaceleração da atividade econômica e a elevada incerteza devem manter a confiança em patamares baixos em 2023”, afirma.

Em fevereiro, a diminuição da confiança foi influenciada pela piora das avaliações sobre o momento e das perspectivas para os próximos meses.

O Índice de Situação Atual (ISA) recuou 1,8 ponto, para 69,3 pontos, o pior resultado desde maio de 2022 (69,1 pontos), enquanto o Índice de Expectativas (IE) cedeu pelo segundo mês consecutivo ao cair 0,9 ponto, para 95,8 pontos.

Entre os quesitos que compõem o ICC, o indicador que mede a percepção sobre a situação financeira das famílias foi o que mais influenciou a queda no mês ao cair 5,6 pontos, para 58,8 pontos, pior resultado desde março de 2022 (56,9 pontos).

Em contrapartida, houve ligeira melhora das avaliações sobre a situação econômica, o indicador subiu 2,0 pontos, para 80,3 pontos.

No entanto, ambos se mantêm distantes do nível neutro.

Com relação às expectativas, houve queda da intenção de compras e das perspectivas sobre economia.

O indicador que mede o ímpeto de consumo de bens duráveis caiu 2,7 pontos para 76,9 pontos, menor desde julho de 2022 (67,7 pontos).

Enquanto o indicador que mede o otimismo em relação a situação econômica recuou 1,2 ponto para 112,2 pontos, respectivamente.

A análise por faixa de rendas mostra perda de confiança em todos os níveis de renda exceto para as famílias com maior poder aquisitivo (acima de R$ 9.600) influenciada pelas expectativas. Apesar da alta todas permanecem abaixo do nível de 90 pontos.

Written By
Redação It's Money

A redação do portal It’s Money é formada por um time de profissionais com ampla experiência editorial, com acompanhamento e revisão de jornalistas especializados.