Economia Notícias

Inflação medida pelo IPC-S sobe 0,49% na segunda quadrissemana de janeiro

Inflação medida pelo IPC-S sobe 0,49% na segunda quadrissemana de janeiro
  • Publicado em 16 de janeiro de 2023

O Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) da segunda quadrissemana de janeiro de 2023 subiu 0,49%, acumulando alta de 4,29% nos últimos 12 meses, informou hoje (16) a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Nesta apuração, três das oito classes de despesa componentes do índice registraram acréscimo em suas taxas de variação.

A maior contribuição para o resultado do IPC-S partiu do grupo Educação, Leitura e Recreação, cuja taxa de variação passou de 0,80%, na primeira quadrissemana de janeiro de 2023 para 1,45% na segunda quadrissemana de janeiro de 2023.

Nesta classe de despesa, cabe mencionar o comportamento do item cursos formais, cujo preço variou 3,27%, ante 1,73% na edição anterior do IPC-S.

Também registraram acréscimo em suas taxas de variação os grupos: Transportes (0,04% para 0,18%) e Despesas Diversas (0,08% para 0,17%). Nestas classes de despesa, vale destacar o comportamento dos itens: gasolina (-0,79% para -0,24%) e serviço religioso e funerário (0,23% para 0,84%).

Em contrapartida, os grupos Habitação (0,19% para 0,04%), Alimentação (0,78% para 0,68%), Vestuário (0,91% para 0,71%), Comunicação (0,71% para 0,54%) e Saúde e Cuidados Pessoais (0,67% para 0,66%) apresentaram recuo em suas taxas de variação. Nestas classes de despesa, vale citar os itens: tarifa de eletricidade residencial (-0,13% para -0,88%), hortaliças e legumes (4,26% para 2,58%), roupas masculinas (1,71% para 0,90%), tarifa de telefone móvel (0,93% para 0,59%) e serviços de cuidados pessoais (1,00% para 0,64%).

A próxima apuração do IPC-S, com dados coletados até o dia 22.01.2023 será divulgado no dia 23.01.2023.

Sobre o Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S)

O Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) mede quadrissemanalmente a variação do custo de vida para famílias com renda entre 1 e 33 salários-mínimos mensais.

O indicador integra o sistema de índices de preços ao consumidor do FGV IBRE, que também inclui: IPC-3i, IPC-C1, IPC-DI, IPC-10 e IPC-M.

Apesar de a coleta ser semanal, a apuração das taxas de variação leva em conta a média dos preços coletados nas quatro últimas semanas até a data de fechamento. O intervalo entre o fim da coleta e sua divulgação é de um dia, sendo um dos mais curtos, inclusive para padrões internacionais.

Fonte: FGV

Written By
Redação It's Money

A redação do portal It’s Money é formada por um time de profissionais com ampla experiência editorial, com acompanhamento e revisão de jornalistas especializados.