Bolsa de Valores Destaques Notícias Onde Investir

LFTS11: conheça a ETF que replica o Tesouro Selic

LFTS11: conheça a ETF que replica o Tesouro Selic
  • Publicado em 29 de fevereiro de 2024

O LFTS11, ETF que replica o Tesouro Selic, é um ativo que vale a pena acompanhar de perto. Mas, com mais de 18 mil fundos de investimento disponíveis hoje na Bolsa de Valores brasileira (B3), você pode estar se perguntando porque esse seria tão relevante. Estamos aqui para explicar.

O LFTS11 é um investimento relativamente recente que pode significar uma forma segura e rentável de aplicar seu dinheiro em renda fixa — mais especificamente em títulos públicos.

Quer saber mais como ele funciona, sua rentabilidade real, e decidir se vale a pena incluir o LFTS11 na sua carteira? Então fique conosco porque hoje iremos analisar e trazer as principais informações a respeito deste ETF intrigante. Boa leitura!

LFTS11: o que é?

Pode ser que você nunca tenha ouvido falar em LFTS11 e esteja se perguntando o que é, de fato, este investimento.

LFTS11 é um código de um fundo de investimento em renda fixa disponível na Bolsa de Valores – que também é chamado de ETF de renda fixa. Ele foi criado em 2022 e pode ser acessado por qualquer investidor. Contudo, o seu grande destaque é o fato de acompanhar o índice Teva Tesouro Selic.

Este índice é composto por títulos públicos pós-fixados, atrelados à taxa Selic. Então, em outras palavras, quando você investe em LFTS11, seu dinheiro rende segundo a performance de 8 títulos do Tesouro ligados à Selic, que é a taxa básica de juros no Brasil.

Por conta disso, podemos dizer que o LFTS11 é um ETF do Tesouro.

Como funciona um ETF do Tesouro?

Para tudo ficar mais claro, vamos entender como funciona um ETF do Tesouro.

Bom, imagine a seguinte situação: você quer investir no Tesouro Direto, mas não deseja que seu dinheiro fique aplicado apenas por um prazo determinado. E agora?

O Tesouro é um título emitido pelo governo, mas existem algumas opções de vencimento. Por exemplo: há o Tesouro Selic 2029, no qual você receberá seu dinheiro acrescido dos juros apenas em 2029. Nele, não há a opção de continuar com a aplicação por mais tempo.

Neste caso, a melhor opção é investir indiretamente no Tesouro, através de um fundo negociado em Bolsa de Valores: os ETFs (Exchange Traded Fund). Isso porque o fundo permite você comprar uma pequena cota de um pacote de vários títulos, com vencimentos diferentes, por exemplo.

Na prática, ele pode te trazer rentabilidade semelhante ao dos Tesouros, e ainda te dá mais liberdade para entrar e sair quando quiser.

Ou seja, por ser negociado em Bolsa, você pode comprar e vender cotas com mais facilidade e rapidez.

Somado a isto, quem investe em ETFs, como é o caso do LFTS11, não precisa pagar IOF sobre a aplicação – nem o famoso come-cotas, que são tributações semestrais.

Mas, nós iremos falar mais sobre o imposto de renda do LFTS11 mais adiante. Acompanhe.

LFTS11: cotação

Agora que você já sabe o que é o LFTS11 e como ele funciona, vamos explorar a sua cotação.

É claro que, se você estiver pensando em investir neste ETF, a melhor estratégia é verificar e acompanhar a cotação atualizada através do site da B3 ou no home broker da sua corretora.

Entretanto, para você ter uma ideia, na data da criação deste artigo era possível observar uma valorização de 12,26% na cotação dos últimos 12 meses do LFTS11.

Isso, considerando que a cotação atual do LFTS11 é de R$116,82 (máxima das últimas 52 semanas). Já o mínimo no último ano foi de R$104,06, valor que só aumentou desde então, pouco a pouco.

Rentabilidade do LFTS11

Além da cotação, que basicamente define o quanto você pagaria para entrar no fundo hoje, vale a pena prestar atenção na rentabilidade do LFTS11.

Como sabemos, rentabilidade passada não define a futura, mas pode ajudar a entender como este ETF se comporta. Além, é claro, de nos dar uma ideia do quanto podemos esperar receber.

Você já leu neste artigo que o LFTS11 rende de acordo com índice Teva Tesouro Selic, certo? Mas, o que isto significa na prática?

Bom, significa algumas coisas relevantes para sua jornada de investidor. Uma delas é que a performance do fundo acompanha a inflação, por exemplo. Isso porque os rendimentos têm uma porcentagem parecida com a da taxa Selic. Vejamos:

  • Selic em 2023: 13,25%
  • Rentabilidade LFTS11 em 2023: 13,02%

Sendo que o LFTS11 mostrou:

  • Rentabilidade de 1 mês: 0,88%
  • Rentabilidade de 3 meses: 2,92%
  • Rentabilidade de 1 ano: 12,78%
  • Rentabilidade desde o lançamento: 16,77%

Além disso, a partir de julho de 2023 o LFTS11 obteve uma rentabilidade acima do IPCA (índice que mede a inflação), e acima do IBOV (principal índice de desempenho das ações da Bolsa de Valores), como podemos observar no gráfico a seguir.

Fonte: Investoetf.com

LFTS11 paga dividendos?

Por ser um ETF de Tesouro, é importante observar que o LFTS11 não paga dividendos. Entretanto, seu retorno se dá através da valorização das cotas na Bolsa de Valores e da rentabilidade atrelada à Selic.

Isso quer dizer que ao invés de pagar dividendos, o LFTS11 distribui seu lucro aos cotistas através de juros.

Somado a isto, o investidor pode ganhar dinheiro com LFTS11 ao vender sua cota por um valor maior do que comprou. Para isso, é preciso acompanhar a cotação e fazer boas negociações.

Tributação: LFTS11 paga Imposto de Renda?

Entre os fatores que mais afetam a rentabilidade de um investimento, estão as alíquotas. Por isso, é importante entender se o LFTS11 paga Imposto de Renda ou não.

A resposta direta é sim, mas a tabela é diferente da que provavelmente você está acostumado. Explicamos.

A alíquota do Imposto de Renda para quem investe diretamente no Tesouro Direto se dá pela tabela regressiva. Isso quer dizer que ela vai de 15% até 22,5%, dependendo do tempo em que seu dinheiro fica aplicado. Ou seja:

Imposto do Tesouro Direto

  • Até 6 meses: 22,5%
  • De 6 meses a 1 ano: 20%
  • De 1 ano a 2 anos: 17,5%
  • Acima de 2 anos: 15%

Entretanto, ao investir em LFTS11, a tabela do Imposto de Renda é levemente diferente. Acompanhe.

Imposto de Renda do LFTS11

  • Até 6 meses: 25%
  • Entre 6 meses a 2 anos: 20%
  • Acima de 2 anos: 15%

Dessa forma, tais porcentagens de Imposto de Renda incidem, diretamente na fonte, sobre os rendimentos da sua aplicação no momento do seu resgate. Então, se você mantiver seu investimento em LFTS11 por 6 meses ou menos, será cobrado 25% de IR na fonte, na hora de vender ou resgatar.

Porém, se permanecer com o fundo por até 2 anos, a cobrança será de 20% de IR, e assim sucessivamente.

IOF

Entretanto, um imposto que não incide sobre o LFTS11 é o IOF. Ou seja, você pode comprar uma cota hoje e vendê-la amanhã sem precisar pagar IOF.

E isso não acontece quando você investe diretamente em Tesouro Direto. A regra do Tesouro define que quem retira a aplicação antes de 30 dias pode ter uma alíquota de até 96%.

Come-cotas

Ademais, conforme comentamos anteriormente, o LFT11 não paga come-cotas, que é outra alíquota que prejudica sua rentabilidade.

O come-cotas nada mais é do que um adiantamento do pagamento do Imposto de Renda que o governo faz, a cada seis meses. Ele incide sobre os rendimentos de alguns fundos de investimento, e por isso é importante estar atento.

LFTS11: liquidez

Agora, vamos entender a liquidez do LFTS11, que é a rapidez com que você consegue comprar e vender sua parte no investimento. Ou melhor, a facilidade de transformar os números em dinheiro na sua conta!

Os dados mostram que a liquidez do LFTS11 é D+1 — o que nada mais é do que “um dia útil após o resgate”. Portanto, se você resgatar seu investimento na segunda-feira, o dinheiro cairá na sua conta na terça, um dia depois.

A liquidez é um fator importante a ser considerado ao escolher um investimento, porque assim você sabe que terá acesso ao valor rapidamente, caso precise. Pode ser tanto para uma emergência, quanto para aplicar em outro investimento, por exemplo.

Muito melhor do que deixar o dinheiro estagnado na poupança, concorda?

Diferença entre investir no LFTS11 ou no Tesouro Direto

Conforme você viu até aqui, apesar de serem parecidos, existem diferenças entre investir no LFTS11 ou no Tesouro Direto. Vamos analisar quais são.

Investindo no Tesouro Direto:

  • Paga-se IOF para resgates dentro de 30 dias;
  • Paga-se come-cotas;
  • Existe vencimento, ou seja, você só resgata o dinheiro quando ele vence;
  • A rentabilidade varia de acordo com o título escolhido;
  • É preciso investir em vários títulos diferentes para ter vencimentos e rentabilidades diversas;
  • A tributação do Imposto de Renda é pela tabela regressiva, e vai de 22,5% a 15%;
  • A liquidez também varia conforme o título escolhido.

Investindo no LFTS11:

  • Não tem IOF;
  • Não tem come-cotas;
  • Não tem vencimento;
  • A rentabilidade acompanha o índice Teva Tesouro Selic;
  • Existe a diversificação por ser um fundo com vários títulos;
  • Não é necessário administrar porque há um gestor;
  • A tributação do Imposto de Renda varia de 15% a 25%;
  • A liquidez é única: D+1;
  • É fácil de negociar por ser na Bolsa de Valores.

Sendo assim, podemos dizer que o LFTS11 pode ser indicado para quem busca praticidade, diversificação e o acompanhamento da taxa Selic, sem precisar investir em vários títulos do Tesouro sozinho e diretamente.

Vale a pena investir no LFTS11?

A verdade é que não existe uma única resposta, mesmo quando o título está rendendo bem.

Isso porque, para decidir se vale a pena ou não ter o LFTS11 em seu portfólio, você deve colocar os prós e contras na balança e considerar o seu perfil e seus objetivos.

Além de tudo o que já analisamos aqui, considere também a questão da gestão e da segurança do investimento. Veja.

Gestão e administração

Além das vantagens que já citadas, os ETFs podem ser considerados interessantes por causa da sua gestão. Isso quer dizer que, ao investir no LFTS11, você não precisará se preocupar em administrar sua cesta de títulos.

Esse trabalho fica com o gestor do fundo que, inclusive, realoca e reaplica o patrimônio sempre que necessário — ou sempre que for estratégico. Isso inclui quando um título do fundo vence, por exemplo.

Porém, isso implica pagar uma taxa de administração. No caso do LFTS11 é de 0,19% ao ano. Vale citar que investir diretamente no Tesouro Direto também implica no pagamento de taxa administrativa.

Segurança

Outro ponto de interesse é referente a segurança de um investimento. No caso do LFTS11, por se tratar de um ETF de Tesouro, não há cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

Entretanto, o investimento pode ser considerado seguro e de baixo risco, uma vez que os títulos são emitidos pelo governo, que é uma instituição que costuma honrar tais pagamentos.

Sendo assim, o Tesouro Nacional funciona como um garantidor, então mesmo não tendo cobertura do FGC, o LFTS11 é um investimento de baixo risco.

Análises e estudos

Por fim, para decidir se vale a pena investir em LFTS11, nossa recomendação é que você estude o fundo, analisando seu histórico de cotação, rentabilidade, e outros indicadores. Além disso, é sempre indicado ler o regulamento e outros documentos do fundo antes de aplicar.

Onde investir no LFTS11?

Se você ficou interessado e quer saber onde investir no LFTS11, nós te contamos: ele está facilmente disponível na B3, e por isso pode ser acessado através da sua corretora de valores.

No home broker ou no aplicativo da corretora, basta procurar pelo código LFTS11, escolher quantas cotas você quer comprar, e fazer a ordem de compra. Lembre-se de prestar bastante atenção à cotação do momento para garantir uma boa negociação.

Caso você ainda não tenha conta em corretora, é só abrir uma, o que geralmente pode ser feito online. Normalmente elas pedem um prazo mínimo para avaliar seus documentos e identidade, e então liberam o seu acesso para negociar livremente.

Investindo no LFTS11 com segurança

No entanto, apesar de ser fácil e simples investir em LFTS11, o ideal é que você tenha um acompanhamento profissional. Isso pode garantir que você está fazendo uma escolha consciente, fundamentada, e segura para você e para sua carteira.

Neste cenário, uma assessoria de investimentos de qualidade vem bem a calhar. Os profissionais podem te orientar durante todo o processo, e ainda garantir que suas escolhas estejam de acordo com suas necessidades e com o seu perfil.

Portanto, converse com um assessor, analise o LFTS11 junto com ele, e decida se este investimento vale a pena para o seu portfólio. Bons investimentos!

Written By
Redação It's Money

A redação do portal It’s Money é formada por um time de profissionais com ampla experiência editorial, com acompanhamento e revisão de jornalistas especializados.