Negócios Notícias

Opex e Capex: o que são, suas diferenças e como calcular

Opex e Capex: o que são, suas diferenças e como calcular
  • Publicado em 1 de maio de 2023

Vamos falar de um assunto que pode parecer um pouco complexo, mas é super importante na hora de decidir onde investir seu dinheiro: CAPEX e OPEX.

O CAPEX é aquele dinheiro que as empresas usam para investir em coisas novas, como construir uma nova fábrica, comprar maquinários ou desenvolver um novo produto. É um tipo de investimento de longo prazo que pode ajudar a empresa a crescer e a se tornar mais lucrativa.

Já o OPEX é o dinheiro que as companhias gastam para manter a operação funcionando, como, por exemplo: pagar salários, aluguel, energia elétrica e materiais de escritório. É um gasto recorrente e necessário para manter a empresa operando.

Agora, por que isso é importante para você, investidor? Porque a forma como as empresas usam seu dinheiro pode influenciar bastante nos resultados financeiros dela. 

Se ela investe muito em CAPEX, pode ser um sinal de que está se preparando para crescer e gerar mais lucros no futuro.

Por outro lado, se gasta muito em OPEX em relação ao faturamento, pode ser um sinal de que está tendo dificuldades para manter as contas em dia.

Certamente, não é só isso que você precisa analisar na hora de decidir onde investir.

Mas conhecer a diferença entre CAPEX e OPEX é um bom começo para entender melhor as finanças das companhias de capital aberto e tomar decisões mais embasadas.

Então, se você é daqueles investidores que querem ir além do básico, vale a pena dar uma olhada neste artigo completo, para saber de que forma CAPEX e OPEX influenciam seus investimentos. Acompanhe! 

O que é CAPEX?

CAPEX é uma sigla em inglês que significa “capital expenditures”, ou seja, despesas de capital em português.

O CAPEX representa os investimentos realizados por uma empresa em bens de capital, como máquinas, equipamentos, instalações e imóveis — necessários para a expansão do negócio.

Também são considerados alguns bens intangíveis, como marcas e patentes, por exemplo.

Esses investimentos são geralmente de longo prazo, visando melhorar a capacidade produtiva da empresa, aumentar sua eficiência operacional, reduzir custos ou desenvolver novos produtos e serviços. 

Por serem de longo prazo, os investimentos feitos pelo CAPEX precisam considerar a depreciação e a amortização dos bens nos demonstrativos financeiros das empresas, que representam a desvalorização natural dos ativos ao longo do tempo.

O CAPEX é uma parte importante do fluxo de caixa da empresa, ao afetar diretamente seu balanço patrimonial e sua capacidade de gerar lucros a longo prazo.

Ele demonstra o quanto do fluxo de caixa está sendo investido no próprio negócio.

Contudo, é importante ressaltar que investimentos do tipo CAPEX podem exigir um alto custo inicial, o que pode levar a empresa a recorrer a fontes de financiamento externas, como empréstimos.

Caso o investimento não traga os resultados financeiros esperados no prazo determinado, pode resultar em prejuízos e endividamentos.

Por essa razão, é crucial que os investidores avaliem de perto as empresas que são intensivas em CAPEX, como as do setor de petróleo, telecomunicações e siderurgia.

Ao analisar o potencial de uma ação, os investidores devem considerar não apenas o CAPEX, mas também fatores como o lucro líquido, nível de endividamento, setor de atuação da empresa, tamanho, histórico, localização e situação político-financeira do país e do mundo. 

Todos esses aspectos são fundamentais para tomar uma decisão informada e minimizar os riscos de investimento.

O que é OPEX?

OPEX é uma sigla em inglês que significa “operating expenditures”, ou seja, despesas operacionais em português.

O OPEX representa os gastos recorrentes necessários para a operação de uma empresa, como salários, aluguéis, serviços públicos, tributos e manutenção, por exemplo.

Como você pode perceber, ao contrário do CAPEX, o OPEX está relacionado aos gastos rotineiros necessários para manter a empresa em funcionamento.

Essas despesas são consideradas custos operacionais contabilizados na demonstração de resultados.

O OPEX é importante porque afeta diretamente a rentabilidade da empresa a curto prazo.

Um controle efetivo dos gastos operacionais pode ajudar a empresa a reduzir seus custos e aumentar sua lucratividade, sem a necessidade de investir em novos ativos de capital.

Diferença entre CAPEX e OPEX

As principais diferenças entre CAPEX e OPEX são a frequência e o destino do dinheiro.

Resumidamente, enquanto o CAPEX é realizado em momentos específicos para aumentar a capacidade produtiva, o OPEX é um gasto contínuo de manutenção. 

Além disso, é possível entender que o CAPEX tem um impacto de longo prazo na rentabilidade da empresa.

Já o OPEX tem um impacto de curto prazo. Inclusive, o OPEX pode ser totalmente deduzido no imposto de renda no mesmo ano em que a despesa ocorreu.

Entretanto, em alguns momentos o CAPEX e o OPEX podem se confundir. Por exemplo, quando uma companhia compra computadores novos, eles devem ser considerados bens de capital ou um instrumento de trabalho operacional?

A resposta para essa pergunta depende das operações de cada empresa. E por isso, é um aspecto que deve ser analisado com cuidado pela contabilidade de cada uma. 

Até porque é importante apresentar os demonstrativos financeiros corretos para os stakeholders, para que saibam onde estão sendo aplicados os investimentos, quais são os custos e os gastos envolvidos.

CAPEX: como calcular

De maneira geral, os cotistas não precisam saber como calcular o CAPEX das empresas em que investem ou nas quais pensam em investir, porque essa informação está presente no balanço patrimonial da companhia. 

Mais especificamente, o dado fica na parte de Demonstração de Fluxo de Caixa. Ainda, este tipo de investimento consta como Despesa de Capital, Aquisições de imobilizados ou algo semelhante. 

No entanto, caso você queira calcular o CAPEX, até para conferir os resultados, a conta deve considerar a variação de ativos e passivos entre dois períodos.  Ou seja:

Capex = Variação dos Ativos Imobilizados (atual – anterior) + depreciação

Considere que Ativos Imobilizados são bens duráveis e tangíveis utilizados em uma empresa para a produção de bens e serviços, que possuem uma vida útil longa. 

Esses ativos são adquiridos visando gerar benefícios econômicos para a empresa em um período superior a um ano e incluem itens como terrenos, edifícios, máquinas, equipamentos e veículos.

Suponha que uma organização tenha investido R$80 mil na aquisição de novos veículos em 2021, mais R$200 mil em 2022 e que o valor calculado de depreciação seja R$15 mil. Neste caso:

  • 200.000 – 80.000 + 15.000 = 135.000 de Capex

Conforme mencionado anteriormente, o valor do CAPEX deve ser analisado de acordo com o segmento da empresa e precisa ser cruzado com outros fatores. De qualquer forma, a ideia é que sempre tais investimentos tragam resultados, mesmo que a longo prazo. 

Como calcular o OPEX?

Para saber como calcular o OPEX, basta somar os custos operacionais dos últimos 12 meses da empresa em questão. Essas informações também constam no balanço patrimonial.

Esses custos podem incluir, por exemplo:

  • Salários e encargos sociais dos funcionários;
  • Aluguéis e taxas condominiais;
  • Contas de serviços públicos, como água, luz e telefone;
  • Despesas com manutenção e reparos;
  • Despesas de marketing e publicidade;
  • Serviços de consultoria e terceirização;
  • Impostos e taxas governamentais, etc.

CAPEX e OPEX: exemplos

Para ilustrar melhor o conceito de CAPEX e OPEX, é possível citar alguns exemplos. Uma empresa intensiva em capital é a Gerdau (GGBR4), uma das companhias mais sólidas do setor. 

  • Em 2017, a Gerdau teve custos de capital na ordem de R$911 milhões, o que representou 44% do fluxo de caixa operacional (FCO) gerado, que foi de R$2,07 bilhões.
  • Por outro lado, temos a OdontoPrev (ODPV3), uma empresa de planos odontológicos que conseguiu gerar um FCO de R$289 milhões. No entanto, ela só precisou gastar R$14 milhões em custos de capital para manter e expandir seu negócio, ou seja, seu CAPEX foi de apenas 5% do FCO.

Esses exemplos evidenciam a importância de analisar o CAPEX e o setor em que a empresa está inserida ao avaliar potenciais investimentos. 

Empresas pouco intensivas em CAPEX, como a OdontoPrev, tendem a gerar mais recursos livres para remunerar seus acionistas

Enquanto empresas intensivas em CAPEX, como a Gerdau, podem precisar de recursos de terceiros para financiar seus investimentos, o que aumenta o nível de endividamento e o risco para o investidor.

Por isso, ao avaliar uma empresa, é importante entender a sua estratégia de investimentos em ativos imobilizados e como isso se relaciona com o seu fluxo de caixa e lucro líquido.

  • Um ponto a ser destacado é que empresas intensivas em CAPEX podem oferecer oportunidades interessantes para investidores que buscam investimentos de longo prazo e que estejam dispostos a tolerar volatilidade no curto prazo. Essas empresas podem estar investindo em projetos de alto retorno, que podem gerar um fluxo de caixa livre significativo no futuro.
  • Por outro lado, empresas pouco intensivas em CAPEX podem ser mais atraentes para investidores que buscam retornos mais consistentes e previsíveis no curto prazo. Essas empresas tendem a ter uma estrutura de custos mais flexível, o que permite que elas se adaptem melhor a variações no mercado e nas condições macroeconômicas.

É melhor priorizar CAPEX ou OPEX?

Não há uma resposta única para essa pergunta, pois a escolha entre priorizar CAPEX ou OPEX depende do estágio de desenvolvimento da empresa, de seus objetivos estratégicos e de suas necessidades específicas.

Na hora de tomar a decisão de priorizar CAPEX ou OPEX, é importante considerar que os investimentos em CAPEX geram gastos mais elevados para o negócio. Por exemplo, para projetos de CAPEX, como construir uma nova unidade, uma empresa pode gastar milhões de reais.

Por isso, muitas empresas preferem, inicialmente, alugar um espaço e tratá-lo como despesa operacional (OPEX), economizando dinheiro e tempo no início.

Dessa forma, é comum que muitas companhias iniciem suas operações priorizando os gastos em OPEX e não em CAPEX. Assim, é possível terceirizar certos setores e operações e focar no essencial.

No entanto, conforme a empresa cresce e se estabelece no mercado, pode fazer sentido direcionar os recursos para CAPEX e adquirir maquinários e operações para ter controle total das atividades e gerar sinergias que possam aumentar a produtividade do negócio.

Cada empreendedor deve avaliar o estágio da sua empresa e verificar no que priorizar: CAPEX ou OPEX. Um ponto importante é verificar a capacidade da empresa de executar o projeto com ou sem investimento imobilizado. É preciso avaliar se é possível usar serviços de terceiros ou se é obrigatório realizar investimentos para atingir os objetivos desejados.

E o investidor prioriza o que?

Pensando no investidor, priorizar mais robustez no CAPEX ou OPEX para escolher a empresa vai depender da estratégia de investimento. 

Não é exatamente uma regra, mas de modo geral: para retorno mais tímido porém mais rápido, investimento nas empresas com menos CAPEX pode ser uma boa ideia. Nos retornos a longo prazo focados em maior rentabilidade, empresas com intenso CAPEX, e que estão com OPEX em dia, podem ser uma escolha atraente. 

Claro, é indispensável cruzar essas informações com todas as demais necessárias para nortear a decisão.

Por que analisar CAPEX e OPEX antes de investir?

Analisar CAPEX e OPEX de uma empresa é importante antes de investir em suas ações porque essas informações ajudam a avaliar a saúde financeira, a viabilidade de pagamento e a perenidade da empresa. Explicamos.

O CAPEX e o OPEX estão diretamente relacionados aos investimentos da organização, tanto em ativos tangíveis como em ativos intangíveis, bem como em suas operações diárias. 

Ao analisar esses dois fatores, um investidor pode avaliar a capacidade da empresa de investir em seus negócios, manter seus ativos e infraestrutura, financiar novos projetos e crescer no longo prazo. 

Além disso, o conhecimento do CAPEX e OPEX ajuda a entender o potencial de geração de lucro e fluxo de caixa livre, que são indicadores importantes de sua capacidade de pagar dividendos aos cotistas e pagar dívidas.

Investimento: como analisar CAPEX e OPEX 

Para analisar o CAPEX e o OPEX de uma empresa antes de investir em suas ações, é importante prestar atenção nas finanças e considerar o histórico da empresa em termos de gastos e investimentos. 

Algumas etapas que os investidores podem seguir incluem:

  • Analisar os relatórios financeiros, incluindo as demonstrações de resultados e balanços patrimoniais, para avaliar os gastos de capital e as despesas operacionais ao longo do tempo.
  • Identificar os principais projetos de investimento da empresa e avaliar o retorno sobre o investimento (ROI) esperado desses projetos. Isso pode ajudar a determinar se o CAPEX é justificado e se a empresa está investindo em projetos rentáveis.
  • Avaliar a eficiência operacional, incluindo a gestão de custos e despesas operacionais. Isso pode incluir a análise de métricas financeiras como a margem EBITDA e a margem operacional, que indicam a eficiência em gerenciar despesas dessa natureza.
  • Comparar o CAPEX e o OPEX com os de outras empresas do setor para avaliar sua posição competitiva. Isso pode ajudar a identificar se a empresa está investindo o suficiente para se manter competitiva.
  • Avaliar a política de dividendos e sua capacidade de gerar fluxo de caixa livre. Isso pode ajudar a determinar se a empresa tem recursos suficientes para financiar seus investimentos em CAPEX e manter suas operações diárias sem sacrificar os retornos aos acionistas.

Vale destacar que uma assessoria de investimentos pode ajudar um stakeholder a avaliar CAPEX e OPEX das empresas. 

A partir dessas informações, é possível tomar decisões mais alinhadas com a realidade e os riscos, identificando oportunidades de investimento em empresas que estejam gerenciando bem suas contas.

 

Written By
Redação It's Money

A redação do portal It’s Money é formada por um time de profissionais com ampla experiência editorial, com acompanhamento e revisão de jornalistas especializados.