Dicas Onde Investir Renda Fixa

Quanto guardar por mês para comprar um apartamento?

Quanto guardar por mês para comprar um apartamento?
  • Publicado em 14 de abril de 2023

Ter o imóvel próprio é um objetivo a longo prazo de muitas pessoas. Porém, com os juros de financiamento altos, a realização desse sonho pode ficar cada dia mais distante.  

Assim, antes de saber quanto guardar por mês para comprar um apartamento, é preciso descobrir como se planejar para isso.  

Primeiramente, vale ressaltar que com quanto mais antecedência começar o seu planejamento, melhor!  

Entenda:  

Como me planejar para comprar um apartamento?  

1. Estabeleça um prazo  

Esse prazo serve para entender quando você quer ter seu apartamento próprio.  

Dessa forma, leve em consideração o tempo que passará pesquisando e economizando para comprar o imóvel.  

2. Pesquise 

Busque qual a média dos valores de imóveis na região em que pretende morar.  

Assim, faça um comparativo entre as opções, considerando os benefícios e gastos gerais.  

3. Calcule 20% do valor do imóvel  

Agora, que já sabe o preço médio dos imóveis, você pode calcular o quanto precisa para dar a entrada no seu apartamento.  

Em geral, esse valor pode chegar a 20% do custo total como entrada.  

Ou seja: se um imóvel tem o valor total de R$130 mil, a entrada precisa ser de R$26 mil.  

Além disso, não deixe de calcular 5% para direcionar às despesas da aquisição.  

4. Defina um valor máximo para o financiamento 

Esse passo depende exclusivamente de quanto você ganha: a parcela de um financiamento não pode ir muito além de 30% da sua renda.  

Por exemplo, para uma renda mensal  R$5 mil, o valor da parcela não pode passar de R$1.500.  

Agora que você já sabe como se planejar, vamos descobrir quanto guardar por mês para comprar um apartamento. 

Quanto guardar por mês para comprar um apartamento?  

  • Se sua renda é de R$2.000… 

Considerando os pontos acima, se sua renda é R$2 mil, você deve buscar por apartamentos que tenham a mensalidade por volta de R$600.  

Assim, o custo total do apartamento deve ser até R$130 mil.  

Dessa forma, o valor de entrada necessário é de R$26 mil + 5% das despesas de compra (R$6.500), totalizando R$32.500. 

Guardando 30% da sua renda, ou seja, R$600 por 55 meses (4 anos e 6 meses) você terá R$33 mil.  

No entanto, leve em consideração também a taxa de juros cobrada no financiamento. A maioria dos bancos fica entre 8,7% e 9,5%. 

Então, por exemplo, financiando por 360 meses um apartamento nesse preço, ao final do financiamento custará no total R$261 mil, mais do dobro do valor original.  

A partir desse cálculo, você consegue também ter noção de quanto tempo levará para acumular uma parcela maior para a entrada, reduzindo o tempo e, consequentemente, o valor do financiamento.  

O cenário acima é penas um exemplo hipotético. Os valores podem variar de acordo com as regiões, instituição financeira e até mesmo o cenário da Selic.

  • Se sua renda é de R$5.000… 

Nesse caso, o valor das parcelas do financiamento não pode ser superior a R$1.500. 

Por isso, busque por apartamentos que tenham o valor por volta de R$200 mil.  

O custo da entrada vai ser algo entre R$40 mil + 5% (R$10 mil), totalizando R$50 mil.  

Assim, você levará 44 meses (3 anos e 8 meses) para atingir esse valor guardando 30% da renda total.  

Porém, além de contar com a economia, investir o dinheiro pode te ajudar a alcançar suas metas de forma mais rápida e simples!  

Para aqueles que desejam maior segurança, a Renda Fixa pode ser uma opção, já que sofre pouca volatilidade.  

O cenário acima é penas um exemplo hipotético. Os valores podem variar de acordo com as regiões, instituição financeira e até mesmo o cenário da Selic.

Como investir em Renda Fixa para comprar um apartamento? 

1. Tesouro Selic 

O Tesouro Selic é um tipo de investimento de Renda Fixa com rendimento atrelado à taxa básica de juros da nossa economia, a Selic. 

A seguir, veja uma simulação de rentabilidade desse tipo de ativo, considerando um investimento de R$600 por mês durante 5 anos… 

  • Total investido: R$36.600; 
  • Rendimento na poupança: R$6.071,33, totalizando R$42.671,33; 
  • Rendimento no Tesouro Selic: R$12.482,19, totalizando R$49.082,19. 

Lembrando que rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura. O cenário acima é penas um exemplo hipotético, e não confira indicação de investimento.

2. LCI e LCA

LCI são as Letras de Crédito Imobiliário, enquanto LCA são as Letras de Crédito do Agronegócio. São títulos de renda fixa que rrecadam recursos para o desenvolvimento do setor imobiliário e de agronegócio.  

A taxa de juros dessas modalidades pode ser prefixada ou pós-fixada.  

A seguir, veja uma simulação de rentabilidade desse tipo de ativo, considerando um investimento de R$600 por mês durante 5 anos… 

  • Total investido: R$36.600; 
  • Rendimento na poupança: R$6.071,33, totalizando R$42.671,33; 
  • Rendimento no CDB: R$14.222,15 totalizando R$52.822,15. 

Lembrando que rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura. O cenário acima é penas um exemplo hipotético, e não confira indicação de investimento.

3. CDB (Certificado de Depósito Bancário)

O CDB representa um tipo de título de crédito emitido pelos bancos. O resgate do valor acontece em um período previamente combinado. 

A seguir, veja uma simulação de rentabilidade desse tipo de ativo, considerando um investimento de R$600 por mês durante 5 anos… 

  • Total investido: R$36.600; 
  • Rendimento na poupança: R$6.071,33, totalizando R$42.671,33; 
  • Rendimento no CDB: R$16.701,93 totalizando R$53.301,93.

Lembrando que rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura. O cenário acima é penas um exemplo hipotético, e não confira indicação de investimento.

Por fim, pata investir com mais facilidade e segurança, conte com uma assessoria de investimentos na sua jornada. Um assessor pode auxiliar você a chegar de forma mais tranquila nos seus objetivos.  

Written By
Redação It's Money

A redação do portal It’s Money é formada por um time de profissionais com ampla experiência editorial, com acompanhamento e revisão de jornalistas especializados.