Análises Morning Call

Reaberturas

Reaberturas
  • Publicado em 12 de dezembro de 2022

Morning_Call

Macro

A reabertura na China após o Covid é motivo de preocupação por parte de alguns investidores nessa segunda-feira.

Isso se deve após novos anúncios de relaxamento serem divulgadas.

O país, que até o final deste ano manteve um controle mais rígido com a pandemia, agora vê o número de novos infectados subir rapidamente.

Alguns serviços como os de entrega passam por interrupções pontuais com os entregadores infectados.

As autoridades médicas da China têm comentado que a taxa de mortalidade está em linha com a da gripe.

O Banco Popular da China deverá manter no patamar de 2,75% a sua taxa de empréstimo de médio prazo, após um corte nos compulsórios do Banco enquanto os agentes avaliam os impactos da reabertura na economia.

Nos Estados Unidos, essa semana marca a última reunião do FOMC este ano, quando será decidido por um novo aumento de juros, estimado pelo mercado em 50 bps.

Os investidores aguardam a ata da reunião para tentar entender os próximos passos e qual seria a taxa terminal para o ciclo de aperto monetário por lá.

Os yields das treasuries caem na abertura dos negócios de hoje em clima de espera também para os dados de inflação que serão divulgados amanhã e sempre tem o potencial de mudar tudo.

Ainda nessa semana teremos decisões do BCE (Europa) e BoE (Inglaterra).

Aqui no Brasil, os investidores acompanham a diplomação da chapa eleita no pleito de outubro, às 14 horas, no TSE em Brasília.

O mercado monitora a equipe que deverá ser formada pelo novo ministro da Economia, Fernando Haddad.

Há ainda a expectativa por nomeações de escopo mais técnico para cargos na secretaria executiva da pasta, além de cargos como Planejamento e Tesouro Nacional.

A expectativa do novo governo é aprovar na quarta-feira a PEC de Transição no plenário da câmara, aprovando R$ 145 bi fora do teto para o bolsa família.

Mercado Interno

mercado interno

Análise Técnica

Nesta sexta-feira, o Ibovespa  finalizou o pregão com uma leve alta de 0,25% aos 107.519 pontos, após dois dias consecutivos de baixa.

O índice chegou a apresentar uma alta de 1,23% durante o dia, porém acabou devolvendo boa parte.

Apesar da alta, o Ibovespa segue com uma expectativa mais negativa para o curto prazo, devido a perda dos 108.780 pontos na semana passada.

Dessa forma, a perda dos 106.905 pontos indica que esse movimento de baixa pode continuar nos próximos dias, tendo como próximo nível importante mais abaixo os 103.000 pontos.

Para a retomada de um viés mais positivo, o primeiro sinal seria a superação dos 110.000 pontos, voltando a ser negociado acima de média móvel de curto período.

Mercado Externo

Mercado externo

Análise Técnica

O S&P500 fechou essa sexta-feira com uma leve queda de 0,78% aos 3.930 pontos, se mantendo entre as médias móveis de curto e longo prazo.

Assim, o índice fechou a semana com uma queda de 3,25%.

A expectativa para os próximos dias ainda é mais negativa, em que a perda dos 3.911 pontos indica que o S&P pode dar continuidade ao movimento de baixa.

Uma alternativa no curto prazo, seria a formação de um movimento mais lateral, entre as médias móveis.

E, pensando em uma retomada de expectativa mais positiva, a superação dos 3.982 pontos, seria o primeiro sinal positivo para uma possível retomada de tendência de alta.

Commodities

commodities

Pregão dessa semana deve trazer mais volatilidade para as comodities, continuando o movimento de correção chegando no patamar dos USD 70.

Os operadores  estão de olho na reabertura da China e avaliando as perspectivas de demanda em meio a desaceleração da economia global.

Desde meados de 2019 não se observava uma queda trimestral consecutiva no petróleo.

Minério de ferro e comodities metálicas em geral têm novas quedas com noticiário da China, refletindo o aumento de novos casos de Covid por lá, que preocupam as perspectivas de consumo.

Análise Técnica

Nessa sexta-feira, o petróleo fechou no campo positivo com uma leve alta de 0,21% aos USD 76,76/barril.

Apesar da leve alta, o ativo segue com um viés mais negativo para o curto prazo, em que a perda dos USD 76,26/barril indica que o petróleo pode dar continuidade a esse movimento de baixa.

Para anular completamente a tendência de baixa que se encontra no curto prazo, o ativo precisa voltar a ser negociado nos USD 89,26/barril.

Porém, o primeiro sinal positivo, mostrando uma possível mudança de tendência, seria a superação dos USD 81,40/barril.

Analistas responsáveis

Dalton Vieira – Analista CNPI-T

  • + 15 anos de experiência no mercado financeiro;
  • Analista de valores mobiliários (CNPI-TEM 910);
  • Credenciado pela Apimec desde 2010;
    Desenvolvedor do método DV de investimentos.

Leonardo Gibelli – Analista CNPI-T

  • Analista CNPI-T;
  • Analista CNPI-T EM-3376 credenciado pela Apimec;
  • Formado em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Erik Sala – Especialista Em FIIs E Renda Fixa

Graduando em Economia pela UFG e especialista em Fundos Imobiliários. Assistente de análise responsável pela carteira DV Renda Imobiliária.

Disclaimer

De acordo com a Resolução CVM nº 20, de 25 de fevereiro de 2021, Art. 21º, declaro que as análises realizadas neste relatório refletem única e exclusivamente a opinião dos autores, e foram elaboradas de forma independente e autônoma.

De acordo com o art. 21 da ICVM 598/18, caso o Analista esteja em situação que possa afetar a imparcialidade do relatório ou que configure ou possa configurar conflito de interesse, este fato deverá estar explicitado no campo “Conflitos de Interesse” deste relatório.

As informações, estimativas e projeções contidas neste relatório referem-se à data de publicação e estão sujeitas a mudanças, não implicando necessariamente na obrigação de qualquer comunicação no sentido de atualização ou revisão com respeito a tal alteração.

Written By
Redação It's Money

A redação do portal It’s Money é formada por um time de profissionais com ampla experiência editorial, com acompanhamento e revisão de jornalistas especializados.