Mercado Notícias

Tiradentes e o mundo dos investimentos

Tiradentes e o mundo dos investimentos
  • Publicado em 21 de abril de 2023

O que a morte de Tiradentes, um dos líderes da Inconfidência Mineira, tem a ver com os seus investimentos? 

Hoje, vamos fazer um paralelo que, embora possa parecer estranho, faz muito sentido: o feriado de 21 de abril, a morte de Tiradentes e o mercado financeiro.  

A Inconfidência Mineira foi um movimento de rebelião contra a Coroa Portuguesa que ocorreu em Minas Gerais no final do século XVIII, mais precisamente em 1789.  

Uma das razões para essa revolta eram os altos impostos cobrados pelos portugueses sobre o ouro, que havia sido descoberto a menos de 100 anos na região e que atraia milhares de interessados em enriquecer nas minas. 

Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, um dos líderes do movimento, era um dentista de profissão, foi militar, mas também investia em atividades de mineração.  

Assim como os investidores atuais, Tiradentes via na comodity uma bela forma de investimento para o crescimento do seu patrimônio. Mas algo não ia lá tão bem. 

Isso porque a Coroa cobrava 20% sobre todo ouro extraído na região, imposto que ficou conhecido como “O quinto” por representar a quinta parte da produção mineral que era registrada nas casas oficiais de fundição.  

A consternação dos brasileiros com o valor do imposto era tão grande, que foi nessa época que surgiu a expressão “O quinto dos infernos”. 

Essa insatisfação com a tributação excessiva é semelhante à que muitos investidores sentem em relação aos impostos sobre investimentos e ganhos de capital no mercado financeiro, que precisam ser declarados anualmente à Receita Federal.  

Além de se opor aos impostos, a Inconfidência Mineira também lutou pela independência econômica de Minas Gerais em relação a Portugal.  

Da mesma forma, muitos investidores buscam a liberdade fazer suas escolhas financeiras com baixa ou nenhuma interferência, como exemplo temos a busca por redução das cargas tributárias para empresas. 

Diferentemente do ouro no século XVIII, que passava pelas casas de fundições para o controle português, hoje temos as criptomoedas, ativos financeiros descentralizados que não são emitidos por governos ou instituições financeiras. 

E o por falar em controle português, o estopim da revolta mineira aconteceu quando um novo imposto passou a ser cobrado: a derrama.  

Devido à exploração desmedida, o ciclo do ouro entrou em decadência e os mineradores já não tinham mais como pagar os tributos, acumulando dívida com o governo. “A derrama” confiscava os bens dos devedores, como móveis, joias e propriedades. 

Porém, a Inconfidência Mineira não chegou a ser deflagrada. E maio de 1789, a partir de traições entre os próprios inconfidentes, denúncias da conspiração chegaram à Coroa Portuguesa. 

Tiradentes foi preso naquele mesmo mês e enforcado 3 anos mais tarde em 21 de abril de 1792. 

A data a passou a ser celebrada um século depois durante a Primeira República, atribuindo a Tiradentes a imagem de Mártir da Independência. 

Mais de 230 anos após a sua morte, o Brasil se destaca em dois pontos antagônicos: está entre os de maior carga tributária do mundo e, infelizmente, entre os que menos retorno concedem aos cidadãos. 

Por isso é importante começar o quanto antes a investir e rentabilizar o seu patrimônio.  

Precisa de ajuda planejar os seus investimentos? Fale com um especialista da Blue3!

Written By
Higo Horta

Jornalista, analista internacional e especialista em marketing.