Economia Notícias

Vendas no varejo caem 0,6% em novembro, diz IBGE

Vendas no varejo caem 0,6% em novembro, diz IBGE
  • Publicado em 11 de janeiro de 2023

O volume de vendas do comércio varejista em novembro de 2022 caiu 0,6%, frente a outubro, na série com ajuste sazonal. Em outubro, a variação havia sido de 0,3%. A média móvel trimestral variou 0,3% em novembro, após alta de 0,5% em outubro.

As informações foram divulgadas nesta quarta-feira (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE.

*Série COM ajuste sazonal
Período Varejo Varejo Ampliado
Volume de vendas Receita nominal Volume de vendas Receita nominal
Novembro / Outubro* -0,6 -0,3 -0,6 -0,2
Média móvel trimestral* 0,3 0,0 0,3 0,4
Novembro 2022 / Novembro 2021 1,5 10,5 -1,4 7,7
Acumulado 2022 1,1 14,6 -0,6 13,0
Acumulado 12 meses 0,6 14,1 -0,8 12,8

Na série sem ajuste sazonal, o comércio varejista avançou 1,5% frente a novembro de 2021. O acumulado do ano chegou a 1,1% e o acumulado nos últimos 12 meses, a 0,6%.

No comércio varejista ampliado, que inclui veículos, motos, partes e peças e material de construção, o volume de vendas variou – 0,6% em novembro. A média móvel avançou 0,3%. O acumulado no ano foi de -0,6% e o acumulado em 12 meses, de -0,8%.

A queda de 0,6% em novembro na comparação com o mês anterior é a primeira desde junho de 2022 (sem considerar a variação de -0,2% em julho). Com isso, o varejo brasileiro se situa, em novembro, no mesmo patamar que junho de 2022, e 3,6% abaixo do recorde da série, ocorrido em novembro de 2020.

Seis das oito atividades recuaram, na série com ajuste sazonal

Essa variação negativa no volume de vendas do comércio varejista na passagem de outubro para novembro de 2022 teve taxas negativas em seis das oito atividades pesquisadas: Combustíveis e lubrificantes (-5,4%), Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-3,4%), Livros, jornais, revistas e papelaria (-2,7%), Tecidos, vestuário e calçados (-0,8%), Outros artigos de uso pessoal e doméstico (-0,3%), e Hiper, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-0,2%).

 VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA E
COMÉRCIO VAREJISTA AMPLIADO, SEGUNDO GRUPOS DE ATIVIDADES: Novembro 2022 – BRASIL
ATIVIDADES MÊS/MÊS
ANTERIOR (1)
MÊS/IGUAL MÊS
DO ANO ANTERIOR
ACUMULADO
Taxa de Variação (%) Taxa de Variação (%) Taxa de Variação (%)
SET OUT NOV SET OUT NOV NO ANO 12 MESES
COMÉRCIO VAREJISTA (2) 1,1 0,3 -0,6 3,2 2,7 1,5 1,1 0,6
1 – Combustíveis e lubrificantes 1,3 0,3 -5,4 34,7 34,3 27,3 16,0 14,0
2 – Hiper, supermercados, prods.  alimentícios, bebidas e fumo 1,3 0,3 -0,2 3,8 2,7 2,7 1,2 1,1
       2.1 – Super e hipermercados 1,3 -0,1 0,0 4,2 2,7 3,3 1,3 1,1
3 – Tecidos, vest. e calçados -2,1 -3,2 -0,8 -9,5 -15,0 -16,1 1,7 1,3
4 – Móveis e eletrodomésticos 0,1 2,5 2,2 -6,1 -0,8 3,0 -7,5 -8,7
       4.1 – Móveis -17,8 -15,9 -8,5 -11,1 -11,5
       4.2 – Eletrodomésticos -0,7 6,7 7,8 -6,2 -7,8
5 – Artigos farmaceuticos, med., ortop. e de perfumaria 0,6 -0,3 1,7 5,8 5,3 6,5 7,0 7,0
6 – Livros, jornais, rev. e papelaria 1,7 -4,2 -2,7 31,0 13,7 1,1 16,9 14,0
7 – Equip. e mat. para escritório, informatica e comunicação 2,0 2,2 -3,4 7,0 8,5 -0,5 1,8 1,0
8 – Outros arts. de uso pessoal e doméstico -1,0 2,0 -0,3 -10,1 -8,4 -10,5 -8,4 -8,1
COMÉRCIO VAREJISTA AMPLIADO (3) 1,3 0,2 -0,6 0,9 0,3 -1,4 -0,6 -0,8
9 – Veículos e motos, partes e peças 0,1 -1,8 0,4 -1,2 -0,8 -5,5 -1,8 -1,6
10- Material de construção -0,4 -4,6 3,0 -8,2 -12,8 -10,9 -8,9 -8,8
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Estatísticas Conjunturais em Empresas.
(1) Séries com ajuste sazonal.
(2) O indicador do comércio varejista é composto pelos resultados das atividades numeradas de 1 a 8.
(3) O indicador do comércio varejista ampliado é composto pelos resultados das atividades numeradas de 1 a 10

Por outro lado, entre outubro e novembro de 2022, dois dos oito grupamentos pesquisados mostraram crescimento: Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria (1,7%) e Móveis e eletrodomésticos (2,2%). Já o comércio varejista ampliado, em termos setoriais, na margem, apresentou dois resultados positivos: Veículos e motos, partes e peças, com 0,4% e Material de construção, com 3,0%.

Cinco atividades do varejo avançaram na comparação com novembro de 2021

Frente a novembro de 2021, o varejo apresentou cinco setores com resultados positivos:  Combustíveis e lubrificantes (27,3%), Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria (6,5%), Móveis e eletrodomésticos (3,0%), Hiper, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (2,7%) e Livros, jornais, revistas e papelaria (1,1%). As outras três atividades apresentaram queda: Tecidos, vestuário e calçados (-16,1%), Outros artigos de uso pessoal e doméstico (-10,5%) e Equipamentos e material para escritório informática e comunicação (-0,5%).

No varejo ampliadoVeículos e motos, partes e peças teve resultado de -5,5%, enquanto Material de construção caiu 10,9% em relação ao mesmo período de 2021.

RECEITA NOMINAL DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA E
COMÉRCIO VAREJISTA AMPLIADO, SEGUNDO GRUPOS DE ATIVIDADES: Novembro 2022 – BRASIL
ATIVIDADES MÊS/MÊS ANTERIOR (1) MÊS/IGUAL MÊS
DO ANO ANTERIOR
ACUMULADO
Taxa de Variação (%) Taxa de Variação (%) Taxa de Variação (%)
SET OUT NOV SET OUT NOV NO ANO 12 MESES
COMÉRCIO VAREJISTA (2) 0,1 0,1 -0,3 13,6 12,2 10,5 14,6 14,1
1 – Combustíveis e lubrificantes -6,0 -1,1 -3,0 12,5 7,1 -2,0 26,1 27,1
2 – Hiper, supermercados, prods.  alimentícios, bebidas e fumo 0,8 0,9 0,4 17,7 16,5 17,0 15,4 14,6
       2.1 – Super e hipermercados 1,0 0,9 0,5 18,0 16,3 17,6 15,2 14,4
3 – Tecidos, vest. e calçados -1,1 -1,4 0,3 8,1 0,9 -0,3 17,5 16,2
4 – Móveis e eletrodomésticos 0,0 2,3 1,8 3,8 8,0 10,1 3,7 2,3
       4.1 – Móveis -4,0 -2,1 4,7 2,6 1,8
       4.2 – Eletrodomésticos 7,3 13,0 12,2 4,2 2,5
5 – Artigos farmaceuticos, med., ortop. e de perfumaria 1,5 0,4 2,1 21,9 20,6 20,9 19,7 19,1
6 – Livros, jornais, rev. e papelaria 1,9 -3,5 -1,8 39,6 21,3 7,0 23,9 20,7
7 – Equip. e mat. para escritório, informatica e comunicação 1,8 2,3 -5,1 8,1 10,5 -2,9 4,2 3,2
8 – Outros arts. de uso pessoal e doméstico -0,5 2,5 -1,3 -0,3 1,3 -1,3 2,7 2,9
COMÉRCIO VAREJISTA AMPLIADO (3) 1,0 0,5 -0,2 11,9 10,1 7,7 13,0 12,8
9 – Veículos e motos, partes e peças 0,3 -1,8 0,5 11,8 10,7 3,6 13,0 13,3
10- Material de construção 0,3 -4,8 3,5 1,4 -4,7 -3,4 2,5 3,0
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Estatísticas Conjunturais em Empresas.
(1) Séries com ajuste sazonal.

A atividade de Combustíveis e lubrificantes subiu 27,3% nas vendas frente a novembro de 2021, 10º crescimento consecutivo na comparação interanual e o quinto a registrar dois dígitos de diferença (17,4% em julho, 30,3% em agosto, 34,7% em setembro e 34,3% em outubro). O setor também representou a maior contribuição na composição da taxa geral do varejo, somando 2,0 p.p. ao total de 1,5% do comércio varejista brasileiro.

Vale lembrar que o crescimento da atividade no indicador de volume está atrelado, no período, à política de redução de preços da gasolina, que se inicia em agosto de 2022. Em termos de resultado acumulado no ano até novembro, ao passar de 14,9% até outubro para 16,0% no mês de referência, a atividade mostra aumento de ritmo. Em relação ao acumulado nos últimos 12 meses, ao passar de 11,2% até outubro para 14,0% em novembro, o setor mostrou aumento de intensidade de crescimento também para este indicador.

O grupamento de Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação apresentou variação de -0,5% em novembro de 2022 frente ao mesmo mês do ano anterior, primeira taxa negativa após três meses de crescimento (2,0% em agosto, 7,0% em setembro e 8,5% em outubro). No ano, até novembro, o setor acumula 1,8% de crescimento, abaixo do estabelecido até outubro (2,1%). O indicador acumulado dos últimos 12 meses registra 1,0% até novembro, segundo mês consecutivo no campo positivo (0,5% até outubro).

O setor de Livros, jornais, revistas e papelaria avançou 1,1% nas vendas frente a novembro de 2021, contra 13,7% em outubro de 2022 frente a outubro de 2021. Em relação ao acumulado no ano até novembro, ao passar de 18,5% até outubro para 16,9% no mês de referência, a atividade mostra perda no ritmo de crescimento. No acumulado nos últimos 12 meses, houve aumento no ritmo de crescimento: de 12,4% até outubro para 14,0% até novembro de 2022.

O setor de Tecidos, vestuário e calçados apresentou queda de 16,1% nas vendas frente a novembro de 2021, a quinta consecutiva. A atividade representou a segunda maior contribuição, no campo negativo, para a taxa global, somando -1,3 p.p ao total de 1,5% do indicador interanual do varejo. No ano, o acúmulo é positivo, mas decrescente: 1,7% até novembro contra 4,0% até outubro. Nos últimos 12 meses, o resultado até novembro é positivo em 1,3%, abaixo do resultado de outubro (2,3%).

O grupamento de Outros artigos de uso pessoal e doméstico, que engloba lojas de departamentos, óticas, joalherias, artigos esportivos, brinquedos, entre outros, apresentou queda de 10,5% nas vendas frente a novembro de 2021, sétimo mês negativo consecutivo. No ano, a perda, até novembro, é de 8,4%, também a sétima consecutiva, resultado similar ao acumulado nos últimos 12 meses (-8,1%), sexto em sequência a registrar perdas.

Já a atividade de Hiper, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo registrou seu quarto mês consecutivo de crescimento para o indicador interanual: 1,4% em agosto, 3,8% em setembro, e 2,7% em outubro e novembro de 2022, na comparação com o mesmo mês do ano anterior. O desempenho positivo do setor, em combinação com o peso da atividade no varejo, a posiciona como segunda maior contribuição na taxa global, somando 1,2 p.p. ao total de 1,5% de novembro 2022 em relação a novembro de 2021. No ano, o acúmulo é de 1,2% até novembro, estável em relação ao indicador até o mês anterior: 1,1%. Nos últimos 12 meses, o acúmulo também é positivo até novembro (1,1%), sendo o terceiro consecutivo fora do campo negativo após 14 meses acumulando perdas.

As vendas de Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria cresceram 6,5% frente a novembro de 2021, 13ª alta consecutiva após variar em -0,2% em outubro de 2021.  Em relação ao acumulado no ano, a atividade mostra manutenção no ritmo de crescimento: 7,0% tanto para outubro quanto para novembro. Nos últimos 12 meses, o resultado de 7,0% até novembro de 2022 é maior em 0,3 p.p. ao acumulado até outubro.

O grupo de Móveis e eletrodomésticos apresentou crescimento de 3,0% em relação a novembro de 2021, primeiro resultado positivo, para o indicador anual, desde março de 2022 (7,2%). O indicador acumulado do ano até novembro de 2022 apresenta perda de 7,5% e não registra crescimento desde agosto de 2021 (2,6%). Para os últimos 12 meses, até novembro o resultado foi de -8,7% com quedas consecutivas desde outubro de 2021.

No varejo ampliado, a atividade de Veículos e motos, partes e peças apresentou queda de 5,5% nas vendas frente a novembro de 2021, queda mais intensa, em magnitude, da série de resultados negativos, no indicador interanual, desde julho de 2022 (-8,5%).  Em relação ao acumulado, o indicador registra perda há cinco meses consecutivos: -1,0% em julho, -1,5% em agosto, -1,4% em setembro, -1,4% em outubro e -1,8% em novembro). No acumulado dos últimos 12 meses, a série se encontra no campo negativo há quatro meses: -0,9% em agosto, -1,2% em setembro, -0,9% em outubro e -1,6% em novembro.

O setor de Material de construção recuou 10,9% nas vendas frente a novembro de 2021, oitava perda seguida desde abril de 2021, exercendo, na comparação interanual, a terceira maior contribuição negativa sobre a taxa global, somando -1,1 p.p. ao total de -1,4% do varejo ampliado. No ano, as perdas ficaram em 8,9% até novembro, contabilizando 11 meses de acúmulos no campo negativo. No acumulado dos últimos 11 meses, o resultado é negativo há nove meses, sendo -8,8% até novembro.

Vendas caem em 20 Unidades da Federação em relação a outubro

Em novembro, na série com ajuste sazonal, o comércio varejista variou -0,6% com resultados negativos em 20 das 27 Unidades da Federação, com destaque para Amapá (-5,6%), Alagoas (-3,9%) e Maranhão (-2,7%). Por outro lado, pressionando positivamente, figuram seis Unidades da Federação, com destaque para Tocantins (2,4%), Piauí (1,5%) e Espírito Santo (1,5%). Santa Catarina apresentou estabilidade (0,0%) na passagem de outubro para novembro de 2022.

Para a mesma comparação, no comércio varejista ampliado, a variação entre outubro e novembro de 2022 também foi de -0,6%, com resultados negativos em 14 das 27 Unidades da Federação, com destaque para Alagoas (-5,6%), Amapá (-3,3%) e Minas Gerais  (-2,7%). Treze Unidades da Federação ficaram no campo positivo, com destaque para Tocantins (9,8%), Sergipe (3,7%) e Rondônia (2,2%).

Na comparação anual, as vendas sobem em 14 das 27 Unidades da Federação

Frente a novembro de 2021, o comércio varejista nacional avançou 1,5%, com resultados positivos em 14 das 27 UFs, com destaque para Roraima (13,3%), Alagoas (11,4%) e Mato Grosso do Sul (9,5%). Por outro lado, pressionando negativamente, figuram 13 Unidades da Federação, com destaque para Bahia (-5,3%), Goiás (-3,8%) e Acre (-3,6%).

Considerando o comércio varejista ampliado, o indicador interanual apresentou variação de 0,3%, com resultados positivos em 16 das 27 Unidades da Federação, com destaque para Paraíba (22,5%), Amapá (9,9%) e Tocantins (8,4%). Onze Unidades da Federação ficaram no campo negativo, com destaque para Pernambuco (-14,9%), Bahia (-9,7%) e Ceará (-5,8%).

Fonte: IBGE

Written By
Redação It's Money

A redação do portal It’s Money é formada por um time de profissionais com ampla experiência editorial, com acompanhamento e revisão de jornalistas especializados.