Destaques Economia Notícias

Volume dos serviços tem alta de 0,7% em janeiro, diz IBGE

Volume dos serviços tem alta de 0,7% em janeiro, diz IBGE
  • Publicado em 15 de março de 2024

O volume de serviços no Brasil cresceu 0,7% em janeiro, frente a dezembro de 2023, na série livre de influências sazonais. Assim, esse é terceiro resultado positivo consecutivo do indicador. 

Ainda, o setor de serviços está 13,5% acima do nível de fevereiro de 2020, pré-pandemia, e 0,7% abaixo de dezembro de 2022, o auge da série histórica.

Os dados constam na Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) divulgados nesta sexta-feira (15) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Destaques 

O destaque principal ficou com o avanço vindo do setor de informação e comunicação (1,5%), quarto resultado positivo seguido, período em que acumulou um ganho de 3,8%. 

Além disso, os outros avanços relevantes ficaram com os serviços profissionais, administrativos e complementares (1,1%) e transportes (0,7%).

Por sua vez, os outros serviços (0,2%) mostraram uma ligeira variação positiva após terem recuado 1,2% em dezembro. 

Em sentido oposto, os serviços prestados às famílias (-2,7%) assinalaram a única retração do mês, eliminando, assim, parte da expansão acumulada nos 2 últimos meses do ano passado (7,4%).

Ainda, na série com ajuste sazonal, a evolução do índice de média móvel trimestral para o total do volume de serviços mostrou expansão de 0,6% no trimestre encerrado em janeiro de 2024 frente ao nível do mês anterior.  

Entre os setores,  houve disseminação de taxas positivas, já que todas as cinco atividades também avançaram frente ao nível do trimestre terminado em dezembro: serviços prestados às famílias (1,4%); outros serviços (1,0%); informação e comunicação (1,0%); profissionais, administrativos e complementares (0,4%); e transportes (0,3%).  

No entanto, na comparação com janeiro do ano passado, o volume do setor de serviços apontou expansão de 4,5% em janeiro de 2024, após ter recuado 1,9% no mês anterior.  

O avanço deste mês foi acompanhado por todas as cinco atividades de divulgação e contou ainda com crescimento em 55,4% dos 166 tipos de serviços investigados.  

Entre os setores, o de informação e comunicação (6,8%) exerceu o principal impacto positivo, impulsionado, principalmente, pelo aumento da receita em telecomunicações; portais, provedores de conteúdo e outros serviços de informação na Internet; TV aberta; desenvolvimento e licenciamento de softwares; e edição integrada à impressão de livros. 

Os outros avanços vieram de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (3,1%), dos profissionais, administrativos e complementares (5,0%); dos prestados às famílias (3,9%); e dos outros serviços (3,1%).  

Crescimento em 16 das 27 unidades da Federação em janeiro 

Além do mais, 16 das 27 unidades da federação assinalaram expansão no volume de serviços em janeiro de 2024, na comparação com dezembro do ano anterior.

Entre os locais que apontaram taxas positivas nesse mês, o impacto mais importante veio do Rio de Janeiro (5,3%), seguido por São Paulo (0,8%), Amazonas (10,9%), Distrito Federal (2,8%) e Paraná (1,5%).

Em contrapartida, Mato Grosso (-3,3%) e Bahia (-1,6%), seguidos por Mato Grosso do Sul (-2,4%), Pará (-2,1%) e Goiás (-1,3%) exerceram as principais influências negativas do mês. 

Na comparação com janeiro de 2023, a expansão do volume de serviços no Brasil (4,5%) foi acompanhada por 26 das 27 unidades da federação.

A contribuição positiva mais importante ficou com São Paulo (3,3%), seguido por Rio de Janeiro (5,0%), Paraná (10,7%), Minas Gerais (5,4%) e Santa Catarina (10,2%).

Em sentido oposto, Rio Grande do Norte (-3,6%) assinalou o único recuo do mês.  

Atividades turísticas recuam 0,8% em janeiro 

Em janeiro deste ano, o índice de atividades turísticas apontou retração de 0,8% frente a dezembro de 2023, após ter avançado 2,6% no mês anterior.  

Com isso, o segmento de turismo se encontra 3,5% acima do patamar de fevereiro de 2020 e 4,3% abaixo do ponto mais alto da série, alcançado em fevereiro de 2014.  

Regionalmente, apenas quatro dos 12 locais pesquisados acompanharam este movimento de retração verificado na atividade turística nacional (-0,8%).  

As influências negativas mais relevantes ficaram com Rio de Janeiro (-5,7%) e Rio Grande do Sul (-6,2%).  

Em sentido oposto, Ceará (11,9%), Bahia (2,7%), São Paulo (0,3%) e Minas Gerais (1,1%) assinalaram os principais avanços em termos regionais. 

Na comparação com o mesmo mês de 2023, o índice de volume de atividades turísticas no Brasil apresentou expansão de 0,5%, trigésima quarta taxa positiva seguida. 

Transporte de passageiros e o de cargas crescem em janeiro 

O volume de transporte de passageiros no Brasil registrou expansão de 2,9% frente ao mês imediatamente anterior em janeiro deste ano, na série livre de influências sazonais, após registrar quatro taxas negativas seguidas, período em que apontou perda acumulada de 8,0%.  

Dessa forma, o segmento se encontra, nesse mês de referência, 5,6% abaixo do nível de fevereiro de 2020 (pré-pandemia) e 27,2% abaixo de fevereiro de 2014, ponto mais alto da série histórica. 

Por sua vez, o volume do transporte de cargas apontou expansão de 0,6% em janeiro de 2024, após ter recuado 0,9% em dezembro.

Dessa forma, o segmento se situa 4,4% abaixo do ponto mais alto de sua série (julho de 2023). Com relação ao nível pré-pandemia, o transporte de cargas está 37,0% acima de fevereiro de 2020. 

No confronto com janeiro de 2023, sem ajuste sazonal, o transporte de passageiros mostrou retração de 5,6% em janeiro de 2024, terceiro revés consecutivo; ao passo que o transporte de cargas, no mesmo tipo de comparação, mostrou crescimento de 6,8%, assinalando, assim, o quadragésimo primeiro resultado positivo seguido. 

Fonte: IBGE 

 

Written By
Redação It's Money

A redação do portal It’s Money é formada por um time de profissionais com ampla experiência editorial, com acompanhamento e revisão de jornalistas especializados.