Educação Financeira Onde Investir

Open banking: o que é e como funciona esse novo sistema?

Open banking: o que é e como funciona esse novo sistema?
  • Publicado em 21 de fevereiro de 2023

Você já conhece o open banking? Trata-se de uma iniciativa do Banco Central que promete revolucionar o mercado financeiro nacional por meio do compartilhamento de dados bancários e informações financeiras. 

Apesar de já estar em implementação no Brasil desde o ano de 2021, ainda há dúvidas sobre o assunto. Por isso, vale a pena saber mais sobre o que é open banking e como funciona esse novo sistema. Além disso, é importante entender quais os impactos dele no seu dia a dia. 

Neste artigo, você poderá compreender o conceito e o funcionamento do open banking. Continue a leitura e saiba mais sobre esse novo sistema! 

O que é open banking e como funciona? 

O open banking, ou banco aberto, é um sistema que permite o compartilhamento de dados bancários e informações de clientes entre as instituições financeiras. Entretanto, essa troca só pode ocorrer com a autorização do correntista — e ela pode ser revogada a qualquer momento. 

Na prática, funciona da seguinte forma: você escolhe com qual banco deseja compartilhar as suas informações para fazer um financiamento, por exemplo. Então ele solicitará os seus dados e o seu histórico em outra instituição na qual você tem uma conta. 

Em seguida, será preciso autorizar o compartilhamento dessas informações. Isso deve ser feito por meio do aplicativo que você utiliza para acessar a conta bancária. Depois, você será redirecionado para o aplicativo do primeiro banco para efetuar e concluir o processo. 

Na integração entre as instituições, é possível reduzir a necessidade de enviar dados manualmente em diferentes plataformas. Assim, há mais agilidade nas transações bancárias e você pode aproveitar o histórico de relacionamento com uma instituição em outros bancos. 

O que permite a comunicação entre as partes envolvidas é o uso de APIs no open banking. A sigla significa application programming interfaces, ou interfaces de programação de aplicativos, em português. Essa é uma tecnologia que permite conectar diversos apps, de forma simples, prática, rápida e segura.  

Quais dados podem ser compartilhados por meio do open banking? 

Depois de entender o que é open banking e saber como funciona esse sistema, é comum as pessoas questionarem sobre quais dados podem ser compartilhados por meio dele. Se esse for o seu caso, saiba que inicialmente era possível compartilhar três tipos de dados: 

  • cadastrais: como endereço, e-mail, telefone, Cadastro de Pessoa Física (CPF) e Registro Geral (RG); 
  • transacionais: envolve todas as suas movimentações financeiras, os gastos no cartão e os saldos das suas conta correntes; 
  • dados sobre produtos ou serviços bancários: como os empréstimos, financiamentos e cheque especial. 

Com a ampliação do open banking e a criação do open finance, pode-se compartilhar mais três tipos de informações: 

  • operações de câmbio; 
  • investimentos; 
  • seguros contratados. 

Quais instituições financeiras participam desse sistema? 

Agora que você conheceu mais alguns detalhes sobre o open banking, é hora de saber quais instituições participam — e podem participar — desse sistema. Segundo o Banco Central brasileiro, elas estão divididas entre obrigatórias e facultativas. 

A princípio, as instituições financeiras classificadas como S1 (aquelas com capital igual ou superior a 10% do PIB do Brasil ou que tenham atividade internacional relevante) e S2 (aquelas com capital entre 1 e 10% do PIB) tiveram participação obrigatória no open banking.  

Além delas, a partir da fase três do processo de implementação do sistema, tornou-se obrigatória a participação das demais organizações que disponibilizam contas transacionais aos seus clientes. Ou seja, conta corrente ou de pagamento. 

As instituições que não se enquadram em nenhum desses critérios podem decidir se participam ou não do open banking. Entretanto, é importante lembrar que essa participação só é permitida para aquelas que funcionam sob a regulamentação do Banco Central. 

Quais os benefícios do open banking? 

Até aqui você conheceu mais a fundo o open banking e entendeu como ele funciona. Agora é o momento de saber quais são os benefícios que esse sistema pode proporcionar para os consumidores e investidores, de forma geral. 

Saiba mais! 

Liberdade 

O primeiro benefício do open banking é a liberdade que o sistema pode proporcionar para o usuário. Isso é possível porque o consumidor ou investidor pode compartilhar os seus dados financeiros quando, como e com a instituição que ele quiser. 

Além disso, as informações só serão compartilhadas com autorização e o prazo de consentimento é limitado a 12 meses. Isso dá maior autonomia em relação ao uso dos seus dados.  

Facilidade 

Outra vantagem do open banking é a facilidade de uso. Afinal, o compartilhamento de suas informações pode ser feito por meio da sua própria conta, de um modo simples e descomplicado. Essa medida facilita o processo de negociação com diferentes instituições. 

Segurança 

É válido destacar também a vantagem da segurança. Por meio de APIs, é possível evitar que terceiros tenham acesso aos seus dados financeiros sem autorização. Assim, só receberão as informações aquelas instituições que você indicar. 

Essa dinâmica ajuda a reduzir os riscos relacionados ao open banking — como vazamento de dados, golpes e fraudes. Logo, é possível usufruir dos benefícios do sistema sem que isso deixe as suas informações vulneráveis. 

Competitividade 

Mais uma vantagem do open banking é o aumento da competitividade no mercado financeiro. Com a chegada do novo sistema, as instituições financeiras passarão a oferecer serviços e produtos com melhores condições para atrair novos clientes. 

Afinal, o relacionamento longo entre o consumidor e uma instituição não o impedirá de buscar serviços mais vantajosos em outros bancos. Basta que ele migre suas informações por meio do sistema. Assim, isso pode ser bastante benéfico para os consumidores e investidores. 

Transparência 

Por fim, mais um benefício do open banking é a transparência no compartilhamento dos dados. Isso é possível porque o usuário pode consultar as informações referentes aos processos realizados sempre que desejar, tornando o processo mais transparente. 

Depois de conhecer o open banking e entender como esse sistema funciona, é possível perceber que ele pode trazer diversos benefícios para você. Então vale a pena ficar atento a essa mudança para aproveitar as oportunidades que a iniciativa do Banco Central pode lhe proporcionar! 

 

Written By
Redação It's Money

A redação do portal It’s Money é formada por um time de profissionais com ampla experiência editorial, com acompanhamento e revisão de jornalistas especializados.