Onde Investir Primeiros Passos

Quanto rende um fundo imobiliário?

Quanto rende um fundo imobiliário?
  • Publicado em 22 de outubro de 2022

Os FIIs vem ganhando cada vez mais espaço em relação aos investimentos tradicionais em imóveis, no entanto, muitos investidores ainda têm dúvidas sobre quanto rende um fundo imobiliário.  

Será que realmente é possível viver de renda investindo em FIIs? Como saber a rentabilidade dessa modalidade de ativo? 

Continue a leitura e descubra as respostas!  

Quanto rende investir em Fundos Imobiliários? 

De forma geral, 95% dos rendimentos semestrais devem ser divididos entre os cotistas de um fundo imobiliário. 

Entretanto, grande parte dos gestores preferem fazer esse pagamento todos os meses.  

Desta maneira, os fundos imobiliários podem ser uma ótima opção para renda extra aos investidores, o famoso “pinga pinga” na conta.  

Além disso, os valores distribuídos possuem isenção de Imposto de Renda, no caso do investidor ser pessoa física. 

Porém, essa regra vale somente para fundos com número superior a 50 cotistas.  

Lembrando que há imposto de renda apenas na hora da venda das cotas, no valor de 20% sobre o lucro.  

Além da possibilidade de renda complementar, os FIIs ainda podem render com juros de títulos e valores imobiliários. 

Confira abaixo uma simulação de rentabilidade feita com base em uma calculadora de fundos imobiliários 

Calculadora de fundos imobiliários – Simulação 1.000 reais num Fundo Imobiliário 

Agora, usamos uma calculadora de fundos imobiliários para fazer uma simulação de 1.000 reais investidos num fundo imobiliário. 

Veja quanto renderia na tabela abaixo: 

Início  outubro de 2017 
Fim  outubro de 2022 
Cota  MXRF11 
Valor da cota na data da compra  R$ 9,58 
Quantidade de cotas compradas  104 
Aportes mensais  zero 
Total recebido em dividendos (aluguéis)  R$ 607,82 
Investimento inicial  R$ 1.000 
Patrimônio final  R$ 1.676,96 

Assim, podemos observar que o dinheiro aplicado teve um acréscimo bastante interessante durante os 5 anos do investimento, mesmo sem aportes mensais.  

Ademais, o investidor viu uma média de R$10,13 de dividendos caindo em sua conta mensalmente. 

No entanto, precisamos ressaltar que rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura.   

O investidor precisa ficar de olho no histórico dos retornos do fundo, mas ter a consciência de que os valores podem sofrer variações com o tempo. 

Assim, as simulações só servem como um norte na hora da montagem da carteira.  

Qual o risco de investir em fundos imobiliários? 

Já vimos que os FIIs podem oferecer retornos interessantes ao investidor, mas qual o risco de colocar em fundos imobiliários na sua carteira? 

Bem, como tudo no mercado financeiro, nenhum investimento pode ser considerado 100% seguro. 

Sendo assim, no caso dos fundos imobiliários, os riscos geralmente são relacionados à falta diversificação e a estudos pouco cuidadosos.  

Para diluir os riscos das aplicações, o investidor precisa observar alguns pontos, como:  

  • Experiência do gestor; 
  • Risco de inadimplência; 
  • Prazo dos contratos de locação; 
  • Diversidade dos imóveis e papéis; 
  • Porte e solidez dos locatários. 

Entretanto, vale salientar que a legislação brasileira prevê regras muito rígidas quanto à criação de novos fundos e normas de gestão bem estruturadas, garantindo mais segurança aos investidores. 

Além disso, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) fica responsável por autorizar, disciplinar e fiscalizar a formação, o andamento e a administração de fundos imobiliários no País. 

Entre as restrições legais e regulamentárias, destacam-se: 

  • Impossibilidade de as gestoras oferecerem empréstimos; 
  • Proibição de adiantar rendas futuras ou dar aval ou fiança com os ativos e valores sob a administração do fundo. 

Por fim, apesar de toda essa retaguarda de fiscalização, o investidor ainda pode contar com a ajuda extra de especialistas  para a formação de uma carteira de FIIs mais segura e equilibrada.

Written By
Redação It's Money

A redação do portal It’s Money é formada por um time de profissionais com ampla experiência editorial, com acompanhamento e revisão de jornalistas especializados.