Bolsa de Valores Onde Investir

Follow on: o que é e como funciona a oferta de novas ações na Bolsa

Follow on: o que é e como funciona a oferta de novas ações na Bolsa
  • Publicado em 12 de março de 2023

Toda grande empresa sonha em um dia poder realizar o seu IPO, em outras palavras, abrir capital na bolsa de valores pela primeira vez.

Ou seja, o termo IPO é utilizado no mercado financeiro para anunciar que uma empresa fechada está abrindo capital ao público.

A Oferta Pública Inicial (IPO), precisa seguir algumas regras que o mercado impõe, e se a empresa se enquadrar nessas regras, ela consegue realizar o processo.

Uma vez realizado o IPO, essa empresa pode vir a realizar um follow on posteriormente.

E é exatamente sobre esse assunto que nós iremos abordar neste artigo.

Confira!

O que é follow on?

O follow on nada mais é do que uma emissão subsequente de ações de uma determinada empresa que já realizou seu IPO no mercado.

Em outras palavras, essa mesma empresa volta para a bolsa de valores e emite novas ações para que acionistas e não acionistas tenham oportunidade de comprar essas novas ações.

Portanto, não se confunda entre IPO e follow on. Um deles acontece no início da abertura de capital (IPO), e o outro pode acontecer inúmeras vezes após seu IPO (follow on).

Quais são os tipos de follow on?

O follow on pode ocorrer em dois tipos, através da oferta primária ou secundária.

Na oferta primária, quem emite as novas ações é a própria empresa.

Desta forma, ela aumenta o seu capital social e a sua base acionária, e os recursos adquiridos através desta nova emissão é encaminhado diretamente para o caixa da empresa.

Já na oferta secundária, os próprios acionistas decidem colocar suas ações a venda. E com isso, o capital adquirido, não altera em nada no caixa da empresa.

Ou seja, o dinheiro é encaminhado diretamente aos acionistas que venderam suas ações.

Por que uma empresa realiza a negociação? 

Se você fosse o dono de uma empresa, e estivesse precisando de mais dinheiro em caixa, e a emissão de novas ações fosse te beneficiar em relação a isso, porque não faria?

É exatamente essa a linha de raciocínio utilizada quando uma empresa decide realizar o follow on. Captar novos recursos.

Além disso, um outro benefício seria o aumento de liquidez do ativo dentro do mercado.

Pois desta forma, o volume de ações negociadas durante os pregões é maior do que o volume anterior, enquanto ainda não existiam esses novos ativos.

Por fim, o comprador, durante o follow on, pode ainda vender essas mesmas ações. Encerrando uma operação de compra e venda.

Como a transação é realizada?

A empresa pode realizar o follow on de duas maneiras, contendo as ofertas primárias e secundárias pela a oferta pública e a restrita.

Na oferta pública, as ações são destinadas a investidores de forma geral.

Contudo, na oferta restrita, as ações são ofertadas a investidores qualificados (pessoas físicas e jurídicas com carteira própria acima de R$1 milhão e fundos de investimentos)

Portanto, se você é um investidor arrojado que possui ações em carteira, mas não consegue acompanhar com muita frequência o mercado financeiro, procure por uma assessoria de investimentos.

Desta maneira, ele irá poder te auxiliar com possíveis follow on’s e outras ocorrências do mercado.

 

Written By
Redação It's Money

A redação do portal It’s Money é formada por um time de profissionais com ampla experiência editorial, com acompanhamento e revisão de jornalistas especializados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.