Onde Investir Primeiros Passos

Ideias de investimentos para agricultores

Ideias de investimentos para agricultores
  • Publicado em 9 de dezembro de 2022

Falar de investimentos para agricultores é falar de alternativas promissoras para aumentar o patrimônio. Isso porque o agronegócio é destaque no mercado quase todos os anos – o que significa que o setor movimenta grande parte da economia brasileira. 

Assim, há muita oportunidade tanto para os agricultores que desejam incrementar o negócio na lavoura quanto para aqueles que pretendem diversificar em outras frentes.

E para contribuir com o seu objetivo, preparamos este artigo com os melhores investimentos. Acompanhe!

Tipos de investimento para agricultores

Desde créditos rurais para financiamentos das atividades no campo, até aplicações em títulos e letras com objetivo de multiplicar o patrimônio, existem vários tipos de investimento para agricultores. 

Só para se ter uma ideia, de todas as riquezas que o Brasil produz, cerca de um quarto – aproximadamente 27% – vem do agronegócio.

Isso demonstra que o setor tem um peso enorme na nossa economia. Atualmente, o agro é um investimento considerado seguro e promissor

Contudo, os produtores rurais precisam contar com algum apoio e incentivo do governo em momentos estratégicos da gestão da safra. 

Isso acontece porque são necessários altos investimentos dentro da lavoura para comprar maquinário, aumentar a produção, investir em tecnologia e em energia sustentável, por exemplo. 

Sendo assim, vamos primeiramente entender quais são os principais tipos de créditos rurais e como eles funcionam. 

Tipos de Crédito Rural

No momento de buscar financiamento ou investimento para sua lavoura, você deve conhecer os tipos de Crédito Rural.

O Crédito Rural é um financiamento subsidiado pelo governo, destinado a quem produz ou comercializa algum produto do setor agropecuário

Um dos destaques deste tipo de crédito é que ele oferece taxas mais atrativas e planos de pagamentos diferenciados para os produtores rurais, se comparado às linhas de crédito tradicionais.

O dinheiro do financiamento é geralmente usado para comprar maquinários e equipamentos, custeio de safras, para investir em tecnologia ou aumentar a capacidade de produção. 

Sendo assim, o Crédito Rural é uma política pública indispensável para o produtor rural. Os tipos de Crédito Rural são:

  • Crédito custeio agrícola: usado para custear atividades rurais.
  • Crédito investimento: destinado a financiar investimentos em bens e serviços.
  • Crédito comercialização: utilizado para auxiliar na venda dos produtos no mercado.
  • Crédito industrialização: usado para financiar a industrialização de produtos agropecuários.

Principais modalidades de Crédito Rural

Existem diversos programas voltados para a aquisição do Crédito Rural. É importante conhecê-las porque esse tipo de iniciativa pública possibilita que agricultores e indústrias agropecuárias invistam em novas tecnologias e, assim, ofereçam produtos de melhor qualidade no mercado.

Os financiamentos, que funcionam como uma forma de empréstimo para o produtor rural, também existem para proteger os agricultores das baixas que podem acontecer por questões climáticas e crises econômicas. 

Conheça agora as principais modalidades de Crédito Rural. 

Pronaf 

O Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar, chamado de Pronaf, é uma linha de crédito rural que apoia a agricultura familiar – com o próprio nome indica. 

O Pronaf é um programa de custeio agrícola que existe desde 1995, no qual pequenos produtores conseguem empréstimos a juros baixos, porque são subsidiados pelo governo. São mais de 10 tipos de financiamentos diferentes.

Algumas das linhas de crédito são:

  • Pronaf Agroindústria
  • Pronaf Custeio
  • Pronaf Mulher
  • Pronaf Jovem
  • Pronaf Cotas-Partes

A taxa dessas linhas de crédito para agricultores e pecuaristas varia de 2,5% a 4,5% ao ano. Dessa forma, aumentar o nível de produção e a renda da família fica um pouco mais simples. 

Existem bancos parceiros do governo que oferecem benefícios como o Pronaf, como o Banco do Brasil, o Banco da Amazônia e o Banco do Nordeste, por exemplo. 

As condições de financiamento e participação no programa Pronaf são regulamentadas pelo Plano Safra, editado todos os anos. Em 2022, o Pronaf tem levado cerca de 30 dias para liberar o financiamento dos agricultores. 

Em relação aos recursos disponíveis, foi noticiado em agosto deste ano que o Pronaf 2022/2023 passou a ter uma base de R$60,1 bilhões, ou seja, 12% a mais do que no ano anterior. 

Pronamp 

O Pronamp é o Programa de Apoio para o Médio Produtor Rural. Ele é ideal para os agricultores que não se encaixam nos critérios do Pronaf, mas ainda assim precisam de um financiamento para investir na sua lavoura.

Este programa para médios agricultores é apresentado pelo BNDES e tem um valor máximo de R$430 mil por ano-safra para empreendimentos individuais, que podem ser pagos em até 8 anos. 

A taxa de juros do Pronamp Custeio e do Pronamp Investimento é pré-fixada em 8% ao ano. 

Moderfrota 

Moderfrota é o Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados a Colheitadeiras. Trata-se de um tipo de crédito rural criado para o financiamento de aquisição de tratores, colheitadeiras, plantadeiras, pulverizadores e outros maquinários dessa natureza

O programa foi criado pelo Banco Central em 2000, sendo financiado pelo BNDES e pela Finame Rural. No Moderfrota, a taxa de juros é pré-fixada em até 12,5% ao ano e não há limite máximo de financiamento. 

O prazo para pagamento do crédito por parte dos agricultores é de 7 anos para itens novos e de 4 anos para itens usados. 

Para participar do programa, a receita operacional bruta da lavoura ou da cooperativa agrícola não pode ser superior a R$45 milhões por ano. 

O financiamento do Moderfrota pode ser adquirido em instituições financeiras autorizadas, como Banco do Brasil, Caixa, Santander, Banrisul e Bradesco. 

Inovagro 

O Inovagro é o Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária. Ele permite ao agricultor aprimorar as práticas de Agricultura de Precisão (AP) na sua propriedade, o que pode diminuir os impactos ambientais, melhorar a gestão e aumentar a produtividade

Em 2022, os recursos da Inovagro chegaram a R$35 bilhões. Com o crédito, o produtor pode investir em softwares de gestão e monitoramento, automação, sistemas de energia alternativa (como energia eólica, solar e biomassa), consultorias e equipamentos de AP, por exemplo. 

Aqui, a taxa de juros é pré-fixada em 10,5% ao ano, sendo que o valor máximo do financiamento é de R$1,3 milhão para empreendimentos individuais. O crédito pode ser pago em 10 anos, com carência de até 3 anos. 

PCA 

PCA é o programa para Construção e Ampliação de Armazéns do BNDES. Ele serve para agricultores que buscam incentivos para investir na modernização, reforma e construção de novos armazéns

Visto que problemas logísticos e de escoamento de produção são comuns em grandes propriedades, este programa visa proporcionar crédito de até R$50 milhões para investimentos relacionados à armazenagem de grãos. 

A taxa de juros praticada pelo PCA é de 7% a 8,5% ao ano. O agricultor tem até 12 anos para pagar o financiamento, com uma carência de até 3 anos. 

Além desses tipos de crédito rurais, o Conselho Monetário Nacional (CMN) determina que todos os bancos destinem uma parte dos depósitos à vista para linhas de crédito voltadas a agricultores e pecuaristas.  

Investimentos para agricultores: principais 

A agricultura é um setor muito importante para o PIB nacional. Por conta disso, investimentos no agronegócio costumam ser bastante lucrativos e ter potencial de multiplicação de patrimônio

A boa notícia é que há opções de investimentos para agricultores e no setor do agronegócio que não dependem de um capital muito grande para começar. 

FII

Os Fundos de Investimento são indicados para vários tipos de investidores, especialmente para aqueles que não querem ter que pesquisar as empresas a investir. Isso porque é o gestor do Fundo que faz esse trabalho. 

Nos Fundos de Investimento Imobiliários (FIIs) captam-se recursos de vários cotistas para aplicação em ativos imobiliários. Os valores conseguidos com a exploração dos imóveis (como aluguéis, por exemplo), são distribuídos igualmente entre os participantes do Fundo em forma de proventos

Fiagro

Os Fundos de Investimento em Cadeias Agroindustriais, também conhecido como Fiagros, são uma nova alternativa de investimento para agricultores e investidores em geral. 

Eles são de renda variável e foram regulamentados apenas em 2021. Apesar disso, já somam mais de 80 mil cotistas, segundo a Anbima. Os Fiagros funcionam de forma similar aos Fundos Imobiliários. 

A diferença é que aqui o patrimônio dos cotistas financiam as cadeias produtivas agroindustriais e investem em imóveis rurais – por regra, pelo menos 50% do Fundo deve ser para estes fins. 

Além disso, são isentos de Imposto de Renda, têm alta liquidez, um valor inicial baixo e são fáceis de comprar e de vender. 

Existem três tipos de Fiagros: 

  • Fiagro-FIDC: aplica em direitos creditórios.
  • Fiagro-FIP: societários.
  • Fiagro-FII: aplica em ativos imobiliários e títulos.

LCA

As Letras de Créditos do Agronegócio são boas opções de investimento para agricultores. Isso porque são títulos emitidos por bancos que destinam seus investimentos a empréstimos para produtores rurais. 

Assim, além de investir seu capital e aumentar seu patrimônio, você incentiva o próprio setor – que só tende a crescer. 

Um dos riscos associados a este investimento é apenas a falência do banco emissor do título. Porém, caso isso aconteça, o investidor tem a cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Outro ponto interessante é que as LCAs são isentas de Imposto de Renda. 

CRA

Os Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRAs), são outro tipo de investimento que retorna para o setor, e por isso, se apresentam como boas opções de investimento para agricultores. As aplicações iniciais podem ser qualquer valor acima de R$100

Neste caso, o risco associado para o investidor é a falência do produtor rural. Porém, como há mais riscos, os retornos costumam ser superiores se comparados aos LCAs.  

Bolsa de Valores

Agricultores ainda podem investir em ações na Bolsa de Valores, aproveitando do próprio conhecimento no ramo para comprar títulos de empresas que investem em fazendas ou que estão ligadas diretamente à produção de commodities agrícolas

Para se ter uma ideia, em 2020 todos os setores da economia brasileira tiveram forte queda por conta da pandemia, menos o agronegócio – que cresceu 24%. 

Isso fez com que as ações ligadas ao setor na Bolsa de Valores disparassem, apresentando uma alta de 67% naquele ano. 

Alguns dos títulos, inclusive, pagam dividendos aos seus investidores a cada 3 meses, e por isso são boas alternativas de investimento para agricultores. 

De qualquer forma, vale lembrar que ações são investimentos de renda variável – portanto o risco é maior. A boa notícia é que o retorno costuma ser alto – especialmente com a orientação de especialistas.  

Qual o melhor investimento na agricultura?

Para saber qual é o melhor investimento na agricultura é preciso avaliar alguns fatores, como: suas metas e objetivos, seu perfil de investidor, o quanto você tem para investir e outros detalhes que você pode conversar com seu assessor de investimentos.

De qualquer forma, o melhor investimento é o diversificado. Para obter mais equilíbrio na sua carteira de ativos e potencializar seus ganhos, é sempre mais indicado investir em classes de ativos diferentes.

É importante mencionar que os tipos de investimento para agricultores que citamos até aqui não configuram necessariamente sugestões de aplicações. O artigo tem caráter informativo e destaca algumas das opções do mercado.

Você deve sempre pesquisar as opções e as características dos investimentos em detalhes.

O recomendado é estar atento às taxas, impostos e regras de cada um dos investimentos, assim como observar sua liquidez e rentabilidade. 

O que dá mais dinheiro na agricultura?

Aquilo que dá mais dinheiro na agricultura depende um pouco da região e das barreiras de entrada. Por barreiras de entrada entende-se tudo o que é necessário para começar a ter os resultados esperados. Como, por exemplo, investimentos em maquinário, em produtos ou mão-de-obra. 

De maneira geral, produtores experientes afirmam que os itens que mais dão dinheiro na agricultura são:

  • Soja
  • Milho
  • Algodão 

Porém, antes de investir nessas culturas, não esqueça de observar os custos envolvidos para seu plantio e colheita. Também é preciso ter em mente que a agricultura é considerada um investimento de risco sem o preparo adequado.

Como começar a investir na agricultura?

Para investir na agricultura existem dois caminhos. O primeiro e mais simples é contar com um assessor de investimento para aplicar o seu dinheiro em ativos relacionados ao agronegócio.

O segundo e um pouco mais complicado é investindo no cultivo de terra, propriamente dito.

Para começar a investir na agricultura no sentido de iniciar as atividades em uma lavoura, você deve estudar as condições da região, do solo e do clima. Além disso, é necessário fazer um levantamento do investimento inicial necessário. 

Dependendo do tipo de plantação, você pode precisar adquirir: 

  • Tratores
  • Plantadeiras
  • Caminhão
  • Pulverizador
  • Colhedora 

Em alguns casos, pode ser viável arrendar maquinário de terceiros para iniciar as atividades, mas a médio e longo prazo este custo irá afetar seus lucros. 

Entretanto, o mais importante de tudo para começar a investir na agricultura é entender o setor. Trata-se de um ramo razoavelmente complexo e que envolve muitas variáveis.

Por isso, caso você seja novato no que diz respeito à agricultura, o ideal é começar estudando a área o máximo possível e se envolver em algum trabalho onde você possa aprender mais sobre o dia a dia de uma lavoura.

Já o investimento em títulos e ativos do setor é um pouco mais simples, como comentamos no início deste tópico. 

Mas nesse caso, mesmo não tendo que administrar uma plantação, é recomendado que o investidor tenha algum know-how no ramo. 

E se não tiver? Simples: basta contar com especialistas em investimento para alocar os recursos nas opções adequadas.

Além disso, é uma boa ideia entender sobre os tipos de investimentos e acompanhar seus indicadores.

Investimento para agricultor: como multiplicar patrimônio

O Brasil é um país com grandes oportunidades de investimento para o agricultor, seja para ampliar e modernizar sua propriedade, ou para multiplicar seu patrimônio. 

Como vimos, o setor do agronegócio é bastante forte, estável e rentável no Brasil. Assim, todo investidor deveria considerar pelo menos uma modalidade deste segmento em seu portfólio. 

Isso também vale para os próprios agricultores, uma vez que lidam com uma grande quantidade de dinheiro por conta da natureza do negócio. Investir é a melhor forma de rentabilizar e assegurar seu patrimônio. 

Entretanto, é preciso ter algum conhecimento de mercado para começar a investir na agricultura. Além disso, existem diversas opções de investimentos atualmente – e escolher as adequadas é o grande diferencial para ganhar dinheiro.

Quer ter a ajuda de um especialista para saber como e onde investir bem? Entre em contato com uma assessoria profissional como a Blue3 Investimentos

Written By
Redação It's Money

A redação do portal It’s Money é formada por um time de profissionais com ampla experiência editorial, com acompanhamento e revisão de jornalistas especializados.