Bolsa de Valores Onde Investir

Carteira de ações: dicas para montar a sua!

Carteira de ações: dicas para montar a sua!
  • Publicado em 13 de setembro de 2023

Se você está interessado em investir, provavelmente quer saber como funciona uma carteira de ações, acertamos? E montar a sua pode parecer uma tarefa difícil e desafiadora, especialmente diante da variedade de opções. Mas justamente por isso que estamos aqui: para te ajudar!

Neste artigo, temos orientações valiosas e informações úteis sobre como criar uma carteira de ações que atenda às suas metas financeiras. Ao longo do texto, você verá desde o conceito básico de carteira de ações até estratégias avançadas, além de como montar uma carteira de dividendos e uma carteira diversificada.

Também exploramos exemplos práticos e citaremos algumas empresas que podem agregar valor à sua carteira. Então, se você está pronto para embarcar nessa jornada rumo ao sucesso financeiro, continue lendo e descubra como montar uma carteira de ações sólida e lucrativa.

Vamos lá?!

Carteira de ações: o que é

A carteira de ações é uma estratégia de investimento que consiste na seleção e alocação de diferentes ações em uma combinação equilibrada, visando otimizar os retornos e minimizar os riscos.

Uma carteira de ações bem construída é como um portfólio diversificado, onde você possui diferentes ativos de diferentes setores e empresas. Essa diversificação é essencial para reduzir a exposição a riscos específicos de uma única ação ou setor.

A ideia por trás disso é equilibrar os resultados: mesmo que algumas ações tenham um desempenho abaixo do esperado, outras podem apresentar um desempenho acima da média.

Ao montar uma carteira de ações, é importante considerar alguns aspectos.

  1. Primeiro, é fundamental analisar o seu perfil de investidor e seus objetivos financeiros. Isso porque cada pessoa possui uma tolerância diferente ao risco, que deve ser considerada ao escolher as ações para a sua carteira. Ou seja, se você é um investidor mais conservador, pode preferir ações de empresas sólidas e estáveis, com menor volatilidade. Por outro lado, se você é um investidor mais agressivo, pode estar disposto a correr mais riscos e investir em ações de empresas com alto potencial de crescimento e grande lucratividade.
  2. Além disso, é essencial fazer uma análise cuidadosa das empresas em que você planeja investir. Isso quer dizer que você deve verificar seus fundamentos, como receitas, lucros, dívidas e perspectivas de crescimento.
  3. Também é recomendável acompanhar as notícias e eventos relacionados às empresas e ao mercado como um todo, a fim de tomar decisões informadas.

carteira-de-ações_its-money

Carteira recomendada: conceito

Ao explorar o mundo dos investimentos em ações, é comum encontrar o termo “carteira recomendada“. Mas afinal, o que significa essa expressão?

A carteira recomendada é uma seleção de ações feita por especialistas do mercado financeiro, como analistas de instituições financeiras, corretoras e casas de investimento.

O objetivo é oferecer sugestões com base em análises e avaliações criteriosas. Sendo que essa seleção de ações é elaborada visando superar a média do mercado e proporcionar bons resultados.

As carteiras recomendadas costumam ser atualizadas periodicamente, conforme as mudanças no cenário econômico, político e no desempenho das empresas. Os especialistas consideram fatores como perspectivas de crescimento das empresas, análises técnicas, fundamentos econômicos, entre outros, para fazer suas recomendações.

Vale ressaltar que as carteiras recomendadas são apenas sugestões e não garantem resultados positivos.

Carteira de ações: exemplos

Ao montar uma carteira de ações, é sempre útil buscar exemplos práticos e recomendações de especialistas.

Nesse sentido, podemos até citar as carteiras da DVinvest, que é uma casa de análise que disponibiliza carteiras recomendadas em seu aplicativo, além de outros serviços. O interessante é que a DVinvest oferece recomendações em tempo real feitas por analistas de investimentos, atendimento exclusivo e uma ampla gama de conteúdos relevantes sobre o mercado financeiro.

Uma das carteiras de ações recomendadas, por exemplo, é a Carteira Perspectiva, revisada e atualizada mensalmente. Composta por 10 ativos, sua seleção é baseada exclusivamente em análise técnica, com o objetivo de buscar retornos de médio a longo prazo, tendo o Ibovespa como referência para desempenho.

Com ela, você não precisa se preocupar em montar a sua própria carteira de ações do zero. Porém, se este for o seu objetivo, considere incluir ações de empresas estabelecidas, como, por exemplo, o Itaú (ITSA3) e o Banco do Brasil (BBAS3). Isso porque eles representam o setor financeiro e têm presença significativa no mercado brasileiro.

Carteira Multi Estratégia

Outra opção oferecida pela DVinvest é a nova Carteira Multi Estratégia. Uma carteira recomendada composta por ativos negociados em bolsa. A estratégia é direcionada ao investidor que procura diversificação em várias classes de ativos, abrangendo ações brasileiras e internacionais, dólar, ouro, bem como FIIs e ETFs.

Lançamento do mês de setembro, a carteira tem uma estrutura que reflete a estratégia de aproveitar o fechamento da curva de juros. Além disso, neste mês do cliente, a DVinvest oferece 30% de desconto no plano anual com acesso a todas as carteiras.

Diversificação de setores

Para diversificar os setores, você pode avaliar ações de empresas como a JBS (JBSS3), do setor de alimentos, e a Vale (VALE3), no setor de mineração. A JBS é uma das maiores empresas de proteína animal do mundo, com uma presença global significativa. Já a Vale é líder na produção de minério de ferro e possui operações em vários países.

Essas empresas podem trazer oportunidades de crescimento e valorização para a sua carteira de ações.

Além dessas, pode ser interessante analisar ações boas pagadoras de dividendos, como, por exemplo, a Petrobrás (PETR3 e PETR4), a Ambev (ABEV3), e muitas outras.

É importante lembrar, contudo, que as recomendações de carteiras e ações são baseadas em análises e opiniões específicas. Por isso, é essencial realizar sua própria pesquisa e análise antes de tomar qualquer decisão de investimento.

Você pode também consultar profissionais financeiros para tomar decisões informadas e adequadas ao seu perfil de investimento.

Carteira de ações: quantas ações ter?

Embora não exista uma resposta exata para essa pergunta, podemos dizer que é comum considerar de 10 a 20 ações para a carteira. Entretanto, vale a pena avaliar alguns pontos importantes antes de desenhar a quantidade. São eles:

  • O primeiro é que a quantidade ideal de ações em uma carteira depende do tamanho do portfólio e da capacidade de acompanhar e monitorar cada uma delas. Isso porque investir em um grande número de ações pode tornar o monitoramento mais complexo e exigir uma quantidade significativa de tempo e recursos.
  • O segundo é que a qualidade das ações é mais importante do que a quantidade. Ter uma seleção de ações bem pesquisadas e fundamentadas é essencial para uma carteira de sucesso. É preferível ter um número menor de ações de qualidade do que uma grande quantidade de ações que não foram adequadamente analisadas.

Por isso, a faixa de 10 e 20 ações para a carteira acaba sendo uma escolha atraente. Ela permite uma diversificação adequada. Claro, desde que as ações sejam de empresas de diferentes setores e apresentem características distintas.

Quais ações devo ter na carteira?

Como você viu até agora, ao montar uma carteira de ações, é importante considerar uma variedade de fatores, como os tipos de ações e os setores onde as empresas atuam. Sendo assim, vamos explorar alguns aspectos relevantes que você deve considerar ao decidir quais ações deve ter em sua carteira.

Ações de empresas estabelecidas e sólidas

Empresas bem estabelecidas, com uma posição dominante em seu setor e resultados financeiros consistentes, geralmente podem fornecer retornos estáveis a longo prazo. Por isso devem ser consideradas para uma carteira de ações de sucesso.

Ações de empresas com potencial de crescimento

Buscar ações de empresas com potencial de crescimento é outra estratégia interessante. Isso porque elas estão em estágios iniciais ou atuam em setores promissores, apresentando perspectivas positivas para o futuro.

Por exemplo, empresas de tecnologia inovadoras ou empresas que se beneficiam de tendências demográficas ou mudanças nos padrões de consumo podem ser boas opções.

Ações de empresas pagadoras de dividendos

Como dissemos anteriormente, incluir ações de empresas que pagam dividendos é uma forma de obter retornos regulares por meio de distribuições de lucros. Além disso, essas companhias geralmente são estáveis e maduras, e tem um fluxo de caixa consistente.

Ações de setores diversificados

Diversificar as ações em setores distintos é uma maneira de reduzir a exposição a riscos específicos de um único segmento. Setores como tecnologia, saúde, finanças, energia, consumo e indústria são exemplos de áreas que costumam ser promissoras – e consequentemente presentes em carteiras de ações.

No entanto, não se esqueça de realizar uma análise cuidadosa dos aspectos políticos, econômicos e regulatórios dos países antes de investir.

Como montar uma carteira de ações com dividendos mensais

Montar uma carteira de ações com dividendos mensais é uma estratégia inteligente para receber rendimentos regularmente ou até para quem deseja viver de renda passiva.

Para colocar isto em prática, o ideal é que você identifique empresas que possuam um histórico consistente de pagamento de dividendos mensais. Essas empresas geralmente são maduras, estáveis e têm fluxo de caixa previsível.

Setores como serviços públicos, imobiliário e energia tendem a apresentar características adequadas para pagar dividendos regulares.

Ainda, após montar sua carteira de dividendos, é fundamental monitorar constantemente as empresas incluídas, acompanhando os resultados financeiros, a saúde do setor e outros fatores que possam afetar a distribuição dos lucros.

Vale lembrar que a renda proveniente de dividendos está sujeita a impostos. Portanto, é recomendável consultar um profissional especializado para orientação fiscal.

Como montar uma carteira de ações diversificada

Além dos passos e aspectos que já mencionamos, existem outros fatores que você deve ter em conta na hora de montar uma carteira de ações diversificada:

  • incluir empresas de diferentes tamanhos;
  • presentes em diferentes localizações;
  • com instrumentos financeiros variados;
  • e de variados ciclos econômicos.

Também é importante acompanhar e reavaliar sua carteira de tempos em tempos. Entenda mais detalhes a seguir.

Tamanho das empresas

Empresas de grande capitalização tendem a ser mais estáveis e oferecer menor volatilidade, enquanto empresas de média e pequena capitalização podem ter maior potencial de crescimento, mas também maior risco.

É por este motivo que incluir uma mistura de empresas de diferentes tamanhos pode trazer equilíbrio e diversificação à carteira.

Geografia

Além da diversificação por setores, considerar a diversificação geográfica é crucial para reduzir a exposição a riscos específicos de um único país ou região. Nesse sentido, investir em ações de empresas localizadas em diferentes localidades permite aproveitar oportunidades econômicas e políticas variadas.

Instrumentos financeiros

A diversificação não se limita apenas às ações. É possível incluir outros instrumentos financeiros, como ETFs (Exchange Traded Funds), fundos de investimento ou até mesmo títulos de renda fixa em sua carteira.

Em outras palavras, esses instrumentos oferecem exposição a diferentes classes de ativos, como commodities, moedas ou setores específicos. Essa diversificação pode ajudar a reduzir a volatilidade geral da carteira.

Ciclos econômicos

Ao montar uma carteira diversificada, é importante considerar como diferentes setores se comportam em diferentes fases da economia. Alguns setores, como bens de consumo básico, tendem a ser mais resilientes em tempos de desaceleração econômica.

Enquanto outros – como tecnologia ou consumo discricionário –  podem se beneficiar em períodos de expansão econômica.

Assim, uma alocação adequada entre setores de diferentes ciclos econômicos pode ajudar a equilibrar a carteira.

Acompanhamento e reavaliação

Por fim, é fundamental acompanhar e reavaliar regularmente a carteira para garantir que a diversificação seja mantida ao longo do tempo. Isso inclui monitorar o desempenho das ações, analisar a saúde financeira das empresas e estar atento a mudanças nos setores e na economia como um todo.

Como escolher os melhores investimentos para uma carteira

Escolher os melhores investimentos para uma carteira requer uma análise cuidadosa e uma abordagem estratégica. Aqui estão algumas considerações finais para auxiliá-lo nesse processo.

  1. Objetivos e perfil de investimento: antes de tomar qualquer decisão de investimento, é fundamental entender seus objetivos financeiros e seu perfil de investidor. Determine se você está buscando crescimento a longo prazo, renda regular, preservação de capital ou uma combinação desses fatores. Compreender seu apetite ao risco e sua tolerância a flutuações no mercado também é crucial para tomar decisões alinhadas com suas necessidades e preferências.
  1.  Diversificação: A diversificação continua sendo uma peça-chave na construção de uma carteira sólida. Distribua seus investimentos em diferentes classes de ativos, setores e regiões geográficas para reduzir o risco específico de um único investimento. Ao diversificar, você pode aproveitar oportunidades de crescimento e proteger sua carteira contra possíveis eventos adversos.
  2.   Pesquisa e análise: Realizar uma pesquisa aprofundada é essencial para selecionar os melhores investimentos. Analise os fundamentos das empresas, como saúde financeira, desempenho passado e perspectivas futuras. Considere também fatores macroeconômicos, tendências de mercado e notícias relevantes que possam impactar seus investimentos.

Contar com a expertise de profissionais de uma assessoria de investimentos pode ser uma vantagem nesse processo.

Nesse sentido, podemos recomendar a Blue3, uma assessoria capaz de fornecer suporte e orientação personalizada na construção e gestão de sua carteira.

Com base em uma equipe de profissionais experientes, a Blue3 oferece análises de mercado, recomendações de investimento e acompanhamento contínuo para ajudar os investidores a alcançar seus objetivos com uma carteira de ações inteligente.

 


Invista no poder do conhecimento e na expertise de profissionais para construir uma carteira de ações sólida e lucrativa.
Com as dicas deste artigo e o acompanhamento de um profissional, você estará preparado para trilhar um caminho de sucesso no mundo dos investimentos em ações.
Fale com um especialista e comece a construir sua carteira hoje mesmo!

*Ao clicar em “falar agora” você estará concordando com a nossa Política de Privacidade.

Written By
Redação It's Money

A redação do portal It’s Money é formada por um time de profissionais com ampla experiência editorial, com acompanhamento e revisão de jornalistas especializados.