Educação Financeira

Como escolher uma corretora de valores? Passo a passo!

Como escolher uma corretora de valores? Passo a passo!
  • Publicado em 23 de fevereiro de 2023

Se você planeja investir o seu dinheiro em renda variável, precisa escolher uma corretora de valores.

O motivo é simples: na conta da corretora é que ocorrem todas as movimentações de ativos – ou seja, é onde você compra e vende ações e outros papéis.

Além disso, as corretoras costumam oferecer investimentos em renda fixa com rendimentos superiores aos dos bancos. Por isso, a melhor forma de investir é por meio delas.

E justamente por lidarem com um grande volume de operações e de dinheiro, é preciso tomar alguns cuidados na hora de escolher a provedora desse serviço.

O que é uma corretora de valores?

No início da sua jornada de investimento, é perfeitamente normal não saber exatamente o que é uma corretora de valores e como ela funciona.

Mas o conceito é bastante simples: uma corretora de valores é uma instituição financeira privada responsável por intermediar operações de compra e venda de títulos entre os investidores e o mercado financeiro.

Além disso, as corretoras devem ter autorização do Banco Central e são regulamentadas pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

O funcionamento e a usabilidade também são simples. Basta criar uma conta em seu nome e enviar dinheiro para investir. Depois, comprar os ativos desejados.

A conta na corretora lembra um pouco a conta bancária. Mas é diferente porque, em termos de investimento, a conta do banco é bem limitada. Você só pode investir em alguns produtos de renda fixa, como aplicar o dinheiro na poupança por exemplo.  

Já a cartela de investimentos das corretoras é ampla, porque são instituições específicas para a finalidade de investir. 

Isso significa que além das clássicas ações, nas corretoras de valores é possível aplicar em vários outros tipos de investimento de renda variável e fixa: fundos, títulos públicos como Tesouro Direto e CDB, títulos privados, CRAs,CRIs, LCIs, LCAs e debêntures.

Nesse sentido, vale observar que a maioria das corretoras apresenta rentabilidade maior que a dos grandes bancos. Isso porque são comissionadas de acordo com os rendimentos.

Por isso, escolher uma corretora e abrir uma conta é a maneira mais segura e rentável de investir seu dinheiro. Através dela, você terá acesso a diversos investimentos e ficará muito mais fácil atingir seus objetivos – seja a curto, médio ou longo prazo. 

Como funcionam as corretoras de valores?

As corretoras de valores funcionam como uma ponte entre os investidores e o mercado financeiro e de capitais.

Elas não possuem investimentos próprios, como é o caso dos bancos. Elas apenas possibilitam a operação de compra e venda dos títulos, fundos e ações. 

A ideia é semelhante a de uma corretora de imóveis, que não possui propriedades mas conecta vendedores aos compradores. 

Portanto, a corretora não fica com o dinheiro do cliente para si. Seu papel é transferi-lo para os investimentos emitidos por diversas instituições financeiras, bancos ou gestoras de recursos.

Como funciona o cadastro em uma corretora de valores?

Para explicar melhor como funcionam as corretoras de valores de fato, vamos falar sobre o processo na prática. Veja a sequência. 

  1. Imagine que você já pesquisou e escolheu a melhor corretora. Depois disso, deve fazer o cadastro com ela. 
  2. Para realizar o cadastro, é preciso enviar alguns documentos solicitados e aguardar alguns dias. Geralmente todo o processo é online.
  3. Após aprovação, sua conta com a corretora já está aberta. 
  4. Então, você pode fazer uma transferência de dinheiro da sua conta bancária para a conta da corretora por meio de TED ou DOC. 
  5. Quando o dinheiro fica disponível na conta da corretora, você já consegue fazer uma ordem de compra de alguma ação ou investimento através do aplicativo, chamado de Home Broker. 
  6. Tendo a ordem de compra processada, seu dinheiro já se encontra investido no ativo escolhido. 
  7. A partir daí é só administrá-lo através do Home Broker. 
  8. E de acordo com o investimento, é possível liquidá-lo também através do aplicativo – respeitando o prazo do resgate.
  9. Depois de resgatar, você pode usar o dinheiro para efetuar novos investimentos ou transferi-lo para sua conta bancária. 

Como escolher uma corretora de valores segura?

Escolher uma corretora de valores segura é mais fácil do que parece. Veja o que você precisa procurar na sua prestadora de serviço.

1. Procure pela regulamentação oficial

Toda corretora de valores deve ser autorizada pelo Banco Central, regulamentada pela CVM e fiscalizada. Por isso, o ponto de partida para escolher uma corretora de valores segura é verificar se ela está na lista do Bacen e também da CVM

2. Confira selos de qualidade

Além disso, você pode buscar por alguns selos que garantem transparência e compliance em transações interbancárias. É o caso do selo Cetip e da certificação PQO, referente ao Programa de Qualidade Operacional da Bolsa de Valores Brasileira – a B3. 

Inclusive, você pode conferir no próprio site da B3 as corretoras que têm esses selos e portanto uma camada extra de certificação da procedência e qualidade.

Atualmente, apenas 24 corretoras possuem os selos citados entre mais de 100.

3. Verifique se tem habilitação para Tesouro Direto 

Outra maneira de se certificar que a corretora é segura é conferindo se ela possui habilitação junto ao Tesouro Direto

Se ela está autorizada a fazer operações de investimento de Tesouro Direto, que é um título do governo, significa que ela preencheu uma série de critérios bem rigorosos em primeiro lugar. 

Mais uma vez, na página do Tesouro Direto é possível averiguar quais instituições estão habilitadas a vincular-se a este título público. 

4. Confira se é associada da Anbima

Por fim, vale a pena dar uma olhada na lista e no perfil das instituições associadas à Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). 

O perfil conta com várias informações importantes a respeito dos códigos seguidos pela empresa, assim como certificações e penalidades.

Quais as corretoras de valores mais confiáveis?

Resumidamente, as corretoras de valores mais confiáveis são as que têm autorização do Bacen e CVM, selos de qualidade e são associadas da Anbima. Além disso, são as corretoras com bom histórico e recomendada por especialistas.

Como vimos, existem mais de 100 corretoras diferentes no Brasil hoje. Para facilitar essa avaliação, você pode consultar o ranking das melhores corretoras, elaborado por empresas como a iBest.

Qual a melhor corretora de valores?

A XP Investimentos foi considerada a melhor corretora de valores digital do Brasil, segundo especialistas do prêmio da Academia iBest. 

Mas se você quiser fazer uma avaliação pessoal sobre a melhor corretora de valores, vale a pena considerar o seguinte: estão entre as melhores aquelas que oferecem segurança, variedade, taxas justas e que correspondem aos seus critérios e objetivos.

Em outras palavras, além de obedecer a todos os indicadores de segurança, a melhor corretora de valores tem os investimentos que você procura, com uma política de taxas equilibrada, aplicativos fáceis de operar, atendimento de qualidade e transparência.

E por falar em transparência, aqui entra um ponto importante. Uma das formas de escolher a melhor corretora de valores também é analisar a qualidade e a frequência das informações que ela disponibiliza. 

Isso porque também é papel da corretora divulgar relatórios, resumos e análises das ações, fundos, e carteiras recomendadas. 

Também são interessantes as recomendações de investimentos, elaboradas por especialistas. Até porque, a ideia é garantir as melhores e mais rentáveis oportunidades para seus clientes. 

Além disso, existem algumas características que colocam uma corretora em vantagem em relação à outra, como:

  • Variedade de investimentos;
  • Plataforma segura e fácil de usar;
  • Transparência em relação às taxas;
  • Facilidade para entender a rentabilidade das suas aplicações;
  • Sugestões de investimentos para o seu perfil;
  • Comparador e simulador de investimentos;
  • Suporte rápido e eficiente.

Vale destacar que algumas corretoras de valores vão além, oferecendo auxílio para a melhor tomada de decisão por parte do investidor – como é o caso da XP Investimentos

Outro ponto de destaque da XP é que ela possibilita a obtenção de cartão de crédito sem anuidade a partir da sua conta, além de oferecer recomendações de investimentos, plataformas e conteúdo educacional.

E o interessante é que, além de oferecer tudo isso, a XP investe em iniciativas ESG – visando ser líder neste quesito. Isso demonstra os valores da empresa e a forma com a qual trabalha.

Apenas para situar, o ranking do prêmio iBest conta com a participação de especialistas e de mais de 18 milhões votos certificados

Como escolher corretora de valores: passo a passo

Agora que você já sabe detalhes importantes sobre corretoras, acompanhe o passo a passo para saber como escolher a corretora de valores. 

1. Verifique segurança e credibilidade

Considerar a segurança da corretora de valores é o primeiro passo para escolher a sua. Como vimos, a corretora precisa ser autorizada e regulamentada pelo Banco Central (Bacen) e pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), no mínimo.

Vale destacar que a CVM é uma autarquia vinculada ao Governo Federal, responsável por regulamentar e fiscalizar as entidades que operam transações financeiras. 

Seu objetivo é garantir a transparência e a segurança dos investimentos.  Para saber se a corretora está listada na Comissão, você pode verificar o site da CVM.

Além desses dois requisitos básicos, você pode também procurar por selos de qualidade e associação da corretora na Anbima.

2. Analise a oferta de investimentos

Nem toda corretora possui os mesmos investimentos disponíveis. Por isso, antes de escolher a sua, verifique quais opções de ativos estão disponíveis e se neles estão os que você procura.

3. Confira qual é o capital mínimo

Verifique também se a corretora exige um montante mínimo para investimentos e qual é esse valor.

4. Analise as comissões e os custos da corretora

É imprescindível analisar os custos e as comissões da corretora, uma vez que cada uma pratica valores distintos e eles impactam seus resultados. As taxas precisam ser justas e não inviabilizar os lucros dos clientes. 

Afinal, não adianta que os rendimentos sejam excelentes se uma parte exagerada deles fica com a corretora, não é mesmo?

Por isso, é importante prestar atenção nessas informações antes de escolher a corretora ideal, até porque podem existir diferenças significativas entre elas. 

As taxas que você precisa observar na hora de escolher uma corretora são:

  • taxa de corretagem; 
  • taxa de custódia, que não obrigatória;
  • taxas de abertura e manutenção da conta , que também não são obrigatórias mas são comuns.

5. Avalie os riscos

Uma das grandes preocupações de quem está começando investir é o nível de risco — e não teria como ser diferente. Alocar dinheiro em ativos é, por si só, uma atividade arrojada. E escolher uma corretora segura pode ajudar a diminuir os fatores de risco, como vimos no primeiro passo.

E você pode estar se perguntando: se a corretora é segura, então quais são os riscos? 

Muitos investidores têm algum receio quanto à falência da corretora, algo bastante raro mas que pode acontecer com qualquer instituição financeira.

Contudo, é válido observar que os investimentos não ficam em nome da corretora. Eles ficam no nome do investidor. Então, supondo que ela quebre ou vá à falência, as aplicações em fundos ou ações do investidor continuam válidas

Além disso, existe um fundo garantidor de crédito que se aplica a alguns tipos de investimentos em caso de insolvência. 

Vale lembrar que as corretoras que têm ESG, têm Governança. Essa prática existe justamente para administrar o negócio com eficiência para garantir sua solidez e perenidade. 

6. Informe-se sobre a qualidade do atendimento

Uma dica bem universal é verificar como é a qualidade do atendimento de uma empresa antes de contratar os seus serviços. Ou seja: para escolher uma corretora de valores, essa premissa também se aplica. 

Para obter informações nesse sentido, você pode consultar a nota em sites direcionados ao consumidor e nas avaliações que a corretora costuma receber. 

Qual a diferença entre corretora de valores e assessoria de investimentos?

A diferença entre corretora de valores e assessoria de investimentos está no serviço que cada uma presta. Enquanto o foco da corretora é oferecer o ambiente para compra e venda de ativos, a assessoria de investimentos serve para orientar o cliente sobre qual investimento escolher. 

As corretoras de valores oferecem algum tipo de auxílio para o investidor conseguir uma jornada mais lucrativa –  por meio de relatórios diários e cursos, por exemplo. E embora sejam materiais informativos de qualidade, são focados em análises amplas e gerais.

E esse ponto é justamente o que diferencia a assessoria de investimentos: a assessoria avalia a situação particular do investidor e fornece um atendimento personalizado para cada caso, com o objetivo de resultados mais lucrativos

Inclusive, o investidor pode ter conta em mais de uma corretora de valores e contar com o mesmo assessor sempre, que vai orientá-lo a fazer as melhores escolhas em relação ao seu patrimônio. 

É importante pontuar, contudo, que o meio pelo qual se concretizam os investimentos é a apenas a corretora. O assessor funciona como um orientador independente – e por conta disso, consegue visualizar e indicar as melhores oportunidades para cada investidor. 

E em relação à segurança, assessorias de investimento também são reguladas pela CVM e podem ser verificadas pelo cliente.

Portanto, para investir seus recursos com sabedoria e de forma segura, a melhor maneira é contar com uma assessoria, como a Blue3 Investimentos

Vale pontuar que o assessor pode lhe auxiliar até na escolha da melhor corretora de valores e prestar informações para qualquer dúvida que você possa ter. Assim, é possível investir mais tranquilo, sabendo que sempre terá alguém cuidando do seu patrimônio. 

Written By
Redação It's Money

A redação do portal It’s Money é formada por um time de profissionais com ampla experiência editorial, com acompanhamento e revisão de jornalistas especializados.