Notícias Resultados Corporativos

AES Brasil (AESB3) lucra R$ 112 milhões no 4T23, queda de 18%

AES Brasil (AESB3) lucra R$ 112 milhões no 4T23, queda de 18%
  • Publicado em 27 de fevereiro de 2024

A AES Brasil (AESB3), geradora de energia elétrica, registrou queda de 18% no lucro líquido no quarto trimestre de 2023 (4T23) ante o mesmo período de 2022 (4T22). Assim, o número saiu de R$ 137,4 milhões para R$ 112,6 milhões.

Além disso, o lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês), ficou em R$ 511,1 milhões, avanço de 42% no ano. Já a margem Ebitda aumentou 5,2 p.p. (pontos percentuais), para 52,5%.

Segundo a leitura da casa de análise DVinvest, a empresa apresentou receita líquida de R$ 1,6 bilhão em 2016 e de R$ 3,4 bilhões em 2023.

“Um crescimento médio de 11,9% ao ano, que ocorreu especialmente em 2022 com a construção de novas geradoras. Em 2023 a receita apresentou aumento de 20,6%, acima da média histórica devido ao motivo anterior”.

Ainda de acordo com a DVinvest, os custos variaram pouco até a unificação das empresas e aumentaram expressivamente em 2021, devido ao baixo nível nos reservatórios, que reduziram a rentabilidade.

“Com a normalização das chuvas, a rentabilidade da AES Brasil aumentou em 2022 e voltou ao patamar anterior em 2023, com os custos e despesas do ano em 69,6%”.

Resultado trimestral AES Brasil (AESB3)

A seguir, confira abaixo os principais destaques do resultado trimestral da AES Brasil (AESB3):

  • Receita operacional líquida: R$ 973,6 milhões no 4T23, aumento de 28,0% em comparação ao 4T22 (R$ 760,8 milhões;
  • Custos operacionais e despesas gerais e administrativas: R$ 173,5 milhões no 4T23, 18,8% superior ao mesmo período do ano anterior (R$ 146,0 milhões);
  • Ebitda: R$ 511,1 milhões no 4T23, com margem Ebitda de 52,5%. O aumento de 42,0% em relação ao 4T22 (R$ 359,9 milhões
  • Resultado financeiro líquido: negativo em R$ 192,8 milhões no 4T23 e negativo em R$ 632,2 milhões no ano;
  • Lucro líquido: R$ 112,6 milhões no 4T23 e R$ 333,3 milhões em 2023, inferior em 18,0% no trimestre e superior em 4,1% no ano em relação aos mesmos períodos de 2022
AES-Brasil-resultados-trimestrais_its-money
Confira a tabela com os principais resultados da AES Brasil (AESB3) no 4T23. Acesse o release completo no site da empresa.

Análise de resultado AES Brasil (AESB3)

“Olhando para o lado operacional, foi um resultado muito positivo. Com a entrada em operação de praticamente todas as unidades que estavam sendo construídas, a receita apresentou uma boa melhoria. Além disso, com um nível hídrico mais alto, a geração dessa fonte apresentou um forte aumento”, avalia Renato Reis, analista fundamentalista na DVinvest.

Segundo ele, com uma receita mais alta e praticamente todos os investimentos entrando em fase de operação, os custos e despesas reduziram seu percentual e devem manter essa tendência para 2024.

Por outro lado, para o analista, a dívida está em um ponto bastante alto. E, apesar de não ser muito cara, tem vencimentos curtos que precisam ser rolados até 2025 para que a empresa não tenha problemas no vencimento.

“Por fim, a controladora já mostrou a intenção de vender as operações e sair do Brasil, distribuindo o valor da venda para os acionistas e fechando o capital em seguida, trazendo riscos para a compra da ação hoje”, finaliza

casa-de-análise-de-ações_its-money

Além da AES Brasil, confira os resultados corporativos do 4T23 já divulgados pelas empresas.

Histórico de resultados AESB3

Agora, confira abaixo o histórico de resultados da AES Brasil (AESB3), com um resumo dos principais números levantados no relatório da empresa, além da análise do especialista. Boa leitura!

Balanço corporativo AESB3 3T23

A AES Brasil (AESB3), geradora de energia elétrica 100% renovável, reportou um uma receita operacional líquida de R$ 908,6 milhões no 3T23. O número corresponde a um aumento de 15,5% em comparação ao 3T22 (R$ 786,6 milhões). A margem operacional líquida totalizou R$ 587,7 milhões no 3T23, um incremento de 37,5% em relação ao 3T22.

Já os os custos operacionais e despesas gerais e administrativas somaram R$ 158,0 milhões no 3T23. O número ficou 10,0% superior ao mesmo período do ano anterior (R$ 143,6 milhões).

Além disso, a AES Brasil registrou um Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) de R$ 429,7 milhões no 3T23. A margem Ebitda ficou em 47,3%.

Por outro lado, o resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 150,7 milhões no 3T23. No acumulado do ano, o número ficou negativo em R$ 439,4 milhões. As receitas financeiras somaram R$ 119,6 milhões no 3T23. Ou seja, em aumento de 3,7% em relação ao mesmo período de 2022, em função do aumento no rendimento de cauções e depósitos judiciais.

Ademais, as despesas financeiras somaram R$ 270,3 milhões no 3T23 e R$ 841,3 milhões nos 9M23. Em outras palavras, houve um crescimento de 78,9% no trimestre e 64,5% no acumulado do ano.

Nesse sentido, em função dos fatores mencionados acima, o lucro líquido foi de R$ 124,4 milhões no 3T23 e R$ 220,7 milhões nos 9M23.

“A AES Brasil encerrou o 3T23 com Dívida Bruta9 consolidada de R$ 11,8 bilhões. Número 49,4% superior ao mesmo período de 2022 (R$ 7,9 bilhões)”, explicou o relatório divulgado pela empresa.

Análise de resultado AESB3 (3T23)

Renato Reis, analista fundamentalista da DVinvest que faz análises dos resultados corporativos para o It’s Money, diz que ficou preocupado com margem de lucro, que apresentou leve piora em relação ao primeiro semestre.

“O preço do papel só faz sentido caso ela consiga reduzir de modo relevante os custos e despesas para um nível similar a 2019 ou 2020. Além disso, o volume de dívidas me preocupa um pouco, mas como a empresa é bem lucrativa e está em um setor estável, imagino que ela consiga renegociar caso necessário”, avaliou Reis. 

resultado-corporativo-AESB3_its-money
Confira a tabela com os principais resultados da AES Brasil (AESB3) no 3T23. Acesse o release completo no site da empresa.
Written By
Redação It's Money

A redação do portal It’s Money é formada por um time de profissionais com ampla experiência editorial, com acompanhamento e revisão de jornalistas especializados.