Análises Coluna Especialistas

PE & VC: o que quer dizer essa sopa de letrinhas?

PE & VC: o que quer dizer essa sopa de letrinhas?
  • Publicado em 5 de março de 2024

Private Equity e Venture Capital (PE & VC) são nomes utilizados para denominar duas classes de fundos alternativos em que irei abordar abaixo.

A melhor forma de entender do que se trata é em comparação a fundos de ações, quando um fundo de ações (tradicional, como um Long Only, que deve permanecer comprado pelo menos em 67% da carteira) a maneira que irá obter retornos positivos para os cotistas é quando conseguir uma variação positiva da ação.

Ou seja, as ações das empresas precisam valorizar na bolsa e em um curto período de tempo, afinal de contas, cada investidor espera obter um retorno em um tempo muitas vezes do que o gestor gostaria de entregar ou que os cotistas esperassem.

Fundos de ações no Brasil

Agora que já relembramos como funciona um fundo de ação, vale ressaltar que segundo a ANBIMA existem mais de 4.000 fundos de ações no Brasil, contando as variações de um mesmo fundo e, o universo de empresas possíveis de investir são limitadas, temos aproximadamente 570 empresas listadas.

Quando o fundo pode investir em BDR’s, que são Brazilian Depositary Receipts, basicamente são certificados que representam ações emitidas em outros países e que são negociadas em nossa bolsa, aumenta o número para 465 empresas.

Porém, como investir em uma empresa, de economia real, antes que ela seja listada em bolsa de valores? Chegamos à parte onde entram os fundos de Private Equity e Venture Capital!

Fundos de Private Equity e Venture Capital

Essa modalidade de fundos, que hoje é voltada para investidores qualificados, busca justamente as empresas em crescimento antes do IPO e assim, conseguir tanto auxiliar no crescimento da empresa com a experiência do time quanto obter retornos para os cotistas de modo a recompensar aqueles que embarcam nessa modalidade de investimento.

Quando se trata de investimentos alternativos, são vários os tipos de fundos que existem e para cada um deles, um tipo de empresa que será investida e um estágio foco que o fundo buscará.

Private Equity

Private Equity é a classe mais comum para acesso do investidor qualificado e busca, na maioria dos casos, empresas consolidadas, com histórico, lucro, posição relevante no mercado, e quer crescer ainda mais, seja via IPO, seja via M&A.

É um investimento que tem risco, porém, dentro da classe dos alternativos ilíquidos, é onde haveria maior consolidação das empresas que estarão contidas dentro do fundo de private equity.

Venture Capital

Venture Capital é uma classe onde o investimento busca empresas de tecnologia, podem estar em estágios diferentes do fundo de private equity e pelo estágio, podem buscar um retorno alvo maior do que em um fundo de private equity justamente pela fase de crescimento mais “embrionária” em que os investidores acessam as empresas.

Apesar do investimento em Venture Capital acessar Startup’s, só agora o investimento tem se popularizado entre os investidores do varejo.

Exemplos

Os termos podem ser novos, porém a indústria de investimentos alternativos ilíquidos já é sólida e já trouxe muitas empresas para a bolsa de valores.

OdontoPrev (ODPV3 na B3), recebeu investimentos de fundo de private equity em 1998!

Rede D’or é outro exemplo de empresa que é listada em bolsa de valores e teve investimento de Private Equity. Drogasil, SmartFit são outros exemplos.

Muita gente gostaria de ter investido em alguns ativos da bolsa de valores em períodos anteriores a uma ação X ou Y antes de ter subido bastante e os investimentos alternativos são as opções de investir nessas empresas antes mesmo de estarem na bolsa!

Como funcionam os fundos alternativos

Investimento em PE e VC são duas formas de outras onde é possível investir em economia real, e por muitas vezes, possuem objetivo de retorno maiores do que outros ativos têm como objetivo de entrega.

Uma busca por rentabilidade maior, tem seu preço, fundos alternativos são fundos fechados, não há como entrar e sair em qualquer momento, existem restrições (Hoje a XP já possui secundário de fundos fechados), são fundos que tem prazo médio de 10 anos sendo 5 para investir e 5 para desinvestir.

Prazo de investimento

O Prazo de investimento agrega ao investidor, torna-se um portfólio para atravessar ciclos, conseguir aproveitar oportunidades e não há uma pressa para se alocar todo o recurso rapidamente, permite aos bons gestores que executem corretamente as teses.

Curva J é algo que algumas pessoas se esquecem ao investir nessa classe, de forma resumida, a curva J é a maneira que o investidor tende a ver o investimento como uma leve queda nos primeiros anos, quando o investimento é feito e o fundo irá atuar na gestão e então espera-se retornos maiores, tendo então a similaridade a um “J”.

Rentabilidade

Outra dúvida comum pelos investidores na classe de alternativos é achar que o fundo não apresenta rentabilidade.

O fundo alternativo, depende muito do modelo em alternativos, mas em grande maioria passará por uma marcação anual dos ativos por uma Big Four, uma das quatro maiores empresas contábeis especializadas em auditoria e consultoria do mundo.

Valor do investimento

Investimentos alternativos tem se popularizado agora entre o varejo com aplicações, em alguns casos, a partir de R$ 10.000,00 e simboliza um grande avanço quanto a possibilidade de investidor que pode entrar em ativos que antes eram acessados somente por investidores muito grandes.

Há um estudo da Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital  sobre a indústria de private equity e venture capital com anos base de 2011-2020, onde dois dados chamam a atenção.

Sendo o primeiro que ao olhar os investidores nacionais e internacionais, de 2015 a 2020, o ano em que houve menor participação em captação para Private Equity e Venture Capital por parte de fundos de pensão e outros investidores institucionais foi em 2020, sendo responsáveis por 41% da captação total no ano.

Outro ponto que chama atenção é em relação a investimento em PE e VC em relação ao PIB em comparação aos Estados Unidos. Em 2014 Brasil chegou a 0,35% em investimentos/ PIB, enquanto os Estados Unidos no mesmo ano chegaram a 1,68%.

Quando um investidor(a) opta por investimento alternativo, opta por investir em um tipo de ativo onde o foco é a multiplicação de capital, diferente de outros ativos onde o foco não é a multiplicação e sim a renda, ou a possibilidade de acessar o capital em um curtíssimo prazo em que a rentabilidade não é importante.

Written By
Raphael Prata

Formado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Goiás. Sócio e líder de fundos na Blue3 Investimentos.